Taxa de ocupação de leitos de UTI e enfermaria em BH está em alerta vermelho

Capital mineira não registrava taxa de ocupação superior a 70% havia nove meses

Ambulâncias do SAMU em Belo Horizonte (MG)
Ambulâncias do SAMU em Belo Horizonte (MG) Rodrigo Clemente/Prefeitura de Belo Horizonte

André Cattoda CNN

Ouvir notícia

A taxa de ocupação de leitos de UTI e enfermaria em Belo Horizonte (MG) está em nível de alerta vermelho. Nesta quinta-feira (13), a capital mineira chegou a 73,6% das unidades de terapia intensiva ocupadas, enquanto nas enfermarias a taxa é superior a 80%.

Os números mostram um movimento de alta nas internações na cidade em 2022. No dia 31 de dezembro de 2021, por exemplo, 65% das enfermarias estavam ocupadas, enquanto a taxa estava em 51,7% para UTIs.

Após nove meses, nesta quarta-feira (12), a ocupação dos leitos de UTI entrou em alerta vermelho. A marca não era atingida desde abril de 2021.

A necessidade por unidades de enfermaria também teve aumento expressivo no início deste ano. No dia 3 de janeiro, no primeiro boletim divulgado pela prefeitura, o total de ocupação superou os 73%, acendendo o alerta vermelho também após nove meses.

Belo Horizonte soma, hoje, 302.990 casos confirmados de Covid-19 e 7.126 mortes. Mais de dois milhões de moradores da capital mineira receberam a segunda dose ou dose única de vacinas contra a doença. Mais de 560 mil tomaram a dose de reforço.

A prefeitura anunciou a abertura de 15 leitos de enfermaria dedicados à Covid nos últimos dois dias. Segundo a gestão municipal, somente em janeiro, foram criados 145 leitos de Enfermaria Covid, saindo de 220, na primeira semana do mês, para 365, nesta quinta.

Mais Recentes da CNN