Unifesp lidera projeto de testagem de vacina contra Covid-19 em São Paulo

Mil voluntários que estão na linha de frente do combate ao coronavírus serão selecionados para o estudo

Vacina contra o coronavírus será testada no Brasil
Vacina contra o coronavírus será testada no Brasil Foto: Valentyn Ogirenko - 14.ago.2019/Reuters

Julyanne Jucá da CNN

de São Paulo

Ouvir notícia

A Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) irá liderar a testagem de vacina contra Covid-19 em São Paulo. A vacina foi desenvolvida pela Universidade de Oxford, do Reino Unido. A autorização do procedimento por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) foi publicada em Diário Oficial na terça-feira (02).

O Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE), da Unifesp, irá recrutar mil voluntários que estão na linha de frente do combate ao coronavírus em São Paulo para a realização do teste no Estado. É necessário que os profissionais da Saúde não tenham contraído a doença anteriormente.

Leia também:

Vacina da Covid-19: conheça a situação das maiores pesquisas

OMS decide retomar testes com hidroxicloroquina para tratar Covid-19

Vacina contra Covid-19: embaixador britânico agradece ‘seriedade’ da Anvisa

O reforço da infraestrutura médica e de equipamentos necessários foi patrocinado pela Fundação Lemann e a articulação para a testagem no Brasil foi feita pela investigadora do estudo, a professora doutora Sue Ann Costa Clemens, diretora do Instituto para a Saúde Global da Universidade de Siena, na Itália, e pesquisadora brasileira especialista em doenças infecciosas e prevenção por vacinas.

“Há outros países cuja participação está em processo de análise e aprovação. Os resultados desses testes serão primordiais para o registro da vacina no Reino Unido, previsto para final deste ano. Entretanto, o registro formal deve acontecer apenas após a conclusão dos estudos realizados em todos os países participantes.”, divulgou a Unifesp.

O ex-ministro da Saúde Nelson Teich felicitou a vinda do projeto ao Brasil. “Os testes de vacina para Covid-19 liberados pela Universidade de Oxford serão iniciados no Brasil esse mês. Fico muito feliz em ver um projeto tão importante como esse para o Brasil, que participei como Ministro, se concretizando.”

Mais informações sobre o estudo

O estudo da vacina de Oxford vai ser aplicado no Brasil, incialmente com 2 mil voluntários. O trabalho, coordenado pela Unifesp e que terá um ano de duração, foi viabilizado pela Fundação Lemann.

Os voluntários ainda serão recrutados e devem seguir os seguintes critérios: profissionais de saúde ou adultos de 18 a 55 anos de idade e que apresentem risco contra a exposição à Covid-19 e que sejam soronegativos para doença.

A previsão é que o estudo seja iniciado entre a segunda e a terceira semanas de junho. O recrutamento ainda não está aberto, mas em breve será comunicado como funcionará.

Mais Recentes da CNN