Vacinação pediátrica trará maior controle da pandemia, diz secretário de Saúde de SP

Jean Gorinchteyn disse em entrevista à CNN que o uso da Coronavac será fundamental para enfrentar o baixo número de doses enviadas pelo Ministério da Saúde

Juliana AlvesVinícius Tadeuda CNN

São Paulo

Ouvir notícia

Diante da autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o uso da Coronavac na vacinação contra a Covid-19 de crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos, o secretário estadual de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, afirmou em entrevista à CNN nesta quinta-feira (20) que a imunização dessa faixa etária é muito importante para o controle da pandemia.

“Se quisermos diminuir a circulação do vírus no nosso meio, nós temos que ter 90% de toda a população vacinada. Por enquanto só temos 80% porque falta essa população pediátrica para ser inserida e ter um controle maior da pandemia no nosso meio”, disse o secretário.

Gorinchteyn também defendeu o início da aplicação da Coronavac em crianças de São Paulo antes mesmo de o Ministério da Saúde divulgar as orientações para utilização do imunizante nas crianças e adolescentes. O secretário afirmou que “vivemos em um momento pandêmico, um momento emergencial para proteger crianças”.

De acordo com o secretário, o uso da Coronavac é fundamental pois o quantitativo de doses pediátricas enviadas pelo Ministério da Saúde à São Paulo é baixo. Gorinchteyn afirmou que há 4,3 milhões de crianças a serem vacinadas no estado, sendo 850 mil delas com comorbidades, e, até o momento, apenas 450 mil doses foram recebidas.

“Esse quantitativo muito baixo está fazendo com que nós estejamos estendendo a vacinação por longas semanas. Isso vai colocar essas crianças em risco especialmente no retorno ao ano letivo”, disse.

O secretário não descartou a possibilidade de o Instituto Butantan, juntamente com o governo de São Paulo, fazer um novo pedido à Anvisa para a aplicação da Coronavac em crianças abaixo dos seis anos. Segundo Gorinchteyn, vários países estão fazendo outros estudos com a vacina e, dependendo dos resultados, haverá “a possibilidade de expandir a cobertura vacinal”.

Gorinchteyn destacou a eficácia do imunizante contra a Covid-19 para evitar casos graves e mortes causadas pela doença, e afirmou que não tem dúvidas da “importância da vacina no papel de controle da doença e da epidemia”.

O secretário advertiu para o fato de que crianças são potenciais transmissoras do vírus, mas que também podem sofrer com os impactos da doença. “Em dois meses, desde o dia 15 de novembro até 17 de janeiro, tivemos um aumento de mais de 62% nas internações nas UTIs pediátricas em decorrência de casos de Covid em crianças”, alertou Gorinchteyn.

Vacinação de crianças contra a Covid-19 no Brasil:

Mais Recentes da CNN