Após aprovação da Anvisa, São Paulo vacina primeiras crianças com Coronavac

Imunizante do Instituto Butantan agora pode ser utilizado na faixa etária entre 6 e 17 anos

Tiago TortellaLucas RochaCarolina Figueiredoda CNN

Ouvir notícia

São Paulo vacinou a primeira criança contra a Covid-19 com a Coronavac nesta quinta-feira (20), em cerimônia simbólica na Escola Estadual Brigadeiro Faria Lima, na capital paulista.

Caetano de Jesus Martins Moreira, de nove anos, foi a primeira criança do país a receber o imunizante. “Inclusive, eu tomei a vacina da gripe recentemente. É só uma picada”, disse o garoto.

Além de Caetano, outras dez crianças – com idades entre 9 e 11 anos – também receberam a vacina na cerimônia.

O governador João Doria anunciou que 100 crianças serão vacinadas hoje com a Coronavac na escola. Outras também serão vacinadas na Região Metropolitana, em São Bernardo do Campo.

A aplicação do imunizante ocorreu horas após a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a utilização da Coronavac em crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos, com exceção dos imunossuprimidos. As crianças com 5 anos só poderão receber a vacina da Pfizer, seguindo a determinação da agência.

A decisão foi tomada após avaliação da diretoria técnica da Anvisa do segundo pedido do Instituto Butantan.

A formulação e dosagem para esta faixa etária são as mesmas da vacina aplicada em adultos. As pessoas devem receber duas doses, com intervalo de 28 dias.

Neste momento, o Instituto Butantan conta com 15 milhões de doses do imunizante em estoque para distribuição aos estados e municípios.

Em São Paulo, serão imunizadas 4,3 milhões de crianças contra a Covid-19. Deste total, 850 mil são indígenas ou possuem comorbidades ou deficiências.

No primeiro calendário divulgado, o governo estadual recomendou às prefeituras que priorizassem a vacinação deste segundo grupo.

Agora, além da imunização dessas pessoas, há o escalonamento para as demais crianças com idades entre 5 e 11 anos sem comorbidades.

Veja o calendário de vacinação de crianças em São Paulo:

  • 20/01 a 30/01 – primeira dose para crianças de 9 a 11 anos de idade e de 5 a 11 anos com comorbidades, deficiências, indígenas e quilombolas
  • 31/01 a 10/02 – primeira dose para crianças de 5 a 8 anos de idade e de 5 a 11 anos com comorbidades, deficiências, indígenas e quilombolas
Calendário de vacinação de crianças contra a Covid-19 no estado de Sâo Paulo / Governo do Estado de São Paulo

Sobre a Coronavac para crianças, que tem a mesma dosagem e fórmula da utilizada em adultos, o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, explicou que ela se baseia em um vírus inativado, método já utilizado em outras vacinas infantis e até no imunizante contra a gripe.

Covas ressaltou que a Coronavac é segura e eficiente no combate à Covid.

Vacinação de crianças no Brasil

Durante a coletiva de imprensa, o governador João Doria afirmou que o Butantan disponibilizará doses da Coronavac para o ministério da Saúde completar a imunização de crianças. A vacina da Pfizer começou a ser utilizada neste grupo no último final de semana.

De acordo com o governo estadual, oito milhões de doses serão utilizadas em São Paulo. Outras sete milhões poderão ser repassadas ao governo federal ou aos estados.

“O Instituto Butantan vai atender à demanda integral do Governo de SP e disponibilizará vacinas remanescentes para o ministério de Saúde para oferecer ao PNI. Se houver alguma relutância do ministério da Saúde, que não são por razões da ciência, nós disponibilizaremos as vacinas para os entes federados, para os governos estaduais que desejarem obter a vacina”, afirmou João Doria.

Dimas Covas complementou que o Butantan oferta doses da Coronavac ao ministério desde outubro, mas que não recebeu nenhuma sinalização de compra até o momento. De acordo com o diretor do instituto, é possível entregar 10 milhões de doses em dez dias.

Mais Recentes da CNN