Vacinação vai bem no Brasil, mas não é hora de tirar máscaras, diz especialista

A especialista também afirmou que a vacinação não é a métrica que definirá uso das máscaras

Produzido por Layane SerranoVinícius Tadeuda CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Com o avanço da vacinação na população brasileira, algumas capitais do país já pensam em flexibilizar o uso de máscaras. Para a microbiologista Natalia Pasternak, em entrevista à CNN, a situação do Brasil tem melhorado consideravelmente, mas ainda não é o momento de tirar as máscaras.

“Especialistas já comentaram algumas vezes que a máscara seria a última medida a cair, porque elas têm um benefício muito bom e um custo muito baixo. Ninguém tem efeito colateral por usar a máscara. É uma medida extremamente efetiva do ponto de vista de custo-benefício porque é basicamente só benefício”, afirmou.

“A gente tira a máscara quando tivermos números muito confiáveis de que a pandemia está sob controle, mas a má notícia é que ainda não chegamos a esse ponto. A vacinação no Brasil está indo muito bem, mas não é momento de pensarmos em parar de usar máscara”, disse a especialista.

Pasternak ainda afirmou que a aplicação das vacinas na maioria da população é a meta, mas não é isso que definirá a necessidade do uso das máscaras, e sim as métricas da pandemia.

“A meta é vacinar, pelo menos, 90% da população, porque imaginamos que a Covid-19 irá parar de circular ao chegar nesse número. Porém, a vacinação não é a métrica para saber se a doença parou de circular. A nossa métrica é o número de casos, de hospitalizações e de óbitos. Então não adianta se basear no número de vacinados”, completou a especialista.

Mais Recentes da CNN