200 milhões de vacinas poderão sair de fábricas veterinárias, diz senador

Em entrevista à CNN, o senador Wellington Fagundes comentou detalhes do projeto de lei aprovado no Senado que visa ampliar disponibilidade de vacinas no país

Lucas Rocha, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Com o apoio das estruturas industriais destinadas à fabricação de produtos de uso veterinário, o Brasil poderá ganhar mais de 200 milhões de vacinas contra a Covid-19 por mês. Em entrevista à CNN, o senador Wellington Fagundes (PL-MT), autor do projeto que permitirá o desenvolvimento, falou sobre a capacidade de produção de três fábricas que possuem nível de segurança máximo, adequado ao desenvolvimento dos imunizantes.

“Essas três indústrias têm capacidade de produzir a cada 35 dias um lote de aproximadamente de 80 milhões de vacinas. A cada 35 dias, os três laboratórios poderiam produzir mais de 200 milhões de vacinas”, ressaltou.

Segundo o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan), as fábricas de vacinas para uso veterinário instaladas no Brasil, reguladas pelo Ministério da Agricultura, possuem um elevado nível de segurança, sendo três delas com nível de máximo de biossegurança (NB4).

O senador destacou a segurança dos espaços e a necessidade de ampliar a produção das vacinas contra a Covid-19 para atender à população brasileira a curto e longo prazos. “Há mais de 20 anos, nós produzimos vacinas a partir de vírus inativado, e nunca tivemos um escape de vírus, nunca tivemos nenhum problema. Hoje, a segurança dessas empresas é total, além da grandiosa capacidade de produção”, afirmou Fagundes.

Segundo o senador, já estão em negociação com o Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) as diretrizes para colocar em prática a ação. “Em reunião, o Ministério da Saúde garantiu que compraria toda a vacina produzida. A Anvisa já está em tratativa com três laboratórios para essa transferência de tecnologia. Nós temos 100% da tecnologia para produzir o IFA [Ingrediente Farmacêutico Ativo]”, disse.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, chegou a afirmar, em coletiva de imprensa, que a medida ajudaria a aumentar a capacidade de vacinação e distribuição das vacinas. O ministro disse que está em análise com autoridades sanitárias e com a Organização Mundial da Saúde (OMS) a adequação de indústrias de vacina animal para a produção dos imunizantes para humanos.

Sobre o projeto

O Projeto de Lei 1.343/2021, de autoria do senador Wellington Fagundes (PL-MT), foi apresentado ao Senado no dia 12 de abril. Ele autoriza, temporariamente, a produção de vacinas contra a Covid-19 por fábricas de uso veterinário que cumpram as normas sanitárias e exigências de biossegurança próprias, como as de laboratórios que produzem os imunizantes utilizados em humanos. 

O projeto de lei, aprovado no Senado, ainda precisará passar pela aprovação da Câmara para seguir para a sanção pelo presidente da República, Jair Bolsonaro.

Mais Recentes da CNN