Após meses no espaço, astronautas voltam em planeta transformado por COVID-19


Christina Maxouris e Joe Sutton, da CNN
17 de abril de 2020 às 13:18
Astronauta Jessica Meir passou 205 dias no espaço

Astronauta Jessica Meir passou 205 dias no espaço

Foto: Nasa TV - 17.abr.2020

Da última vez que Jessica Meir, Andrew Morgan e Oleg Skripochka estiveram na Terra, havia festas, happy hours, apertos de mão, shows lotados e ninguém falava sobre o novo coronavírus e como ele poderia remodelar rotinas no mundo todo.

Mais de 200 dias desde que eles embarcaram em uma viagem ao espaço, as coisas estão diferentes. Os três astronautas pousaram na manhã desta sexta-feira (17) perto de Dzhezkazgan, no Cazaquistão.

“Em casa sãos e salvos”, escreveu a Nasa (Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço dos EUA) em sua conta no Twitter nesta manhã. “A aterrissagem de hoje encerra a missão de 205 dias para Jessica Meir e Oleg Skripochka, e de 272 dias para Andrew Morgan. Bem-vindos de volta!”

O dia de hoje também marca os 50 anos que os astronautas da Apollo 13 foram forçados a abortar a missão de aterrissar na Lua – após explosões danificarem o módulo de serviço e de comando da nave – e pousar em segurança no oceano Pacífico.

Assista e leia também:
50 anos da missão Apollo 13: reflexões sobre um ‘fracasso bem-sucedido’
Cientistas usam isolamento por COVID-19 como teste para missão em Marte

“Há 50 anos, uma crise no espaço terminou com a volta segura da equipe da Apollo 13”, escreveu Morgan no Twitter nesta sexta. “Agora, durante o retorno do grupo Soyuz MS-15, a crise está na Terra. A constante [nos dois fatos]: dedicação e generosidade dos centros de controle de missões pelo mundo.”

Em uma coletiva de imprensa na semana passada, Meir e Morgan disseram que estavam acompanhando como a crise do vírus se desenrolava na Terra. Mas vendo de tão longe, poucas coisas pareciam estar diferentes.

“Podemos assistir às notícias daqui de cima e temos conversado com amigos e parentes para tentar ter uma dimensão”, afirmou Morgan. “Mas, daqui, é difícil entender o que está acontecendo e como a vida será quando voltarmos.”

Morgan foi selecionado pela Nasa para ser um astronauta, em 2013, e também trabalha como médico de emergência no Exército dos EUA.

“Como médico, sei como é estar em um hospital ou na linha de frente de atendimento”, disse ele. “Estou muito orgulhoso de fazer parte desta profissão, mas, ao mesmo tempo, me sinto culpado por estar tão longe dela agora, disse na ocasião”,

Oleg Skripochka retornou à Terra nesta sexta com sua equipe

Oleg Skripochka retornou à Terra nesta sexta com sua equipe

Foto: Nasa TV - 17.abr.2020

O protocolo da Nasa para astronautas voltarem à Terra normalmente segue uma avaliação médica pós-aterrissagem, com médicos e equipes da agência auxiliando o grupo a se adequar à gravidade do planeta e se acostumar novamente com certas coisas, como caminhar. Nas semanas seguintes ao retorno, a saúde da equipe continua sendo monitorada.

Mas com um vírus mortífero à solta, a agência afirma que os procedimentos serão diferentes desta vez. “A Nasa vai aderir às recomendações com relação ao controle de infecções para o novo coronavírus, enquanto Andrew Morgan e Jessica Meir voltam à Terra e começam os exames médicos pós-voo e o período de adaptação”, informou anteriormente Courtney Beasley, porta-voz do Centro Espacial Johnson da Nasa.

“Isso inclui a limpeza das superfícies, distanciamento social, higiene das mãos, encorajamento dos membros da Nasa que estão doentes a ficarem em casa, e contato limitado com as outras pessoas da equipe”, disse.