Cientistas criam luva que traduz língua de sinais para fala em tempo real

Dispositivo contém sensores que percorrem os cinco dedos para identificar cada palavra, frase ou letra, conforme a língua de sinais americana

Rob Picheta, da CNN
30 de junho de 2020 às 11:43
Luva contém sensores que percorrem os cinco dedos para identificar cada palavra, frase ou letra, conforme a língua de sinais americana
Foto: Ucla

Cientistas desenvolveram uma luva que traduz língua de sinais para o discurso falado em tempo real. O produto tem o potencial de permitir que pessoas com deficiência auditiva se comuniquem diretamente com qualquer outro indivíduo, sem a necessidade de um tradutor.

O dispositivo contém sensores que percorrem os cinco dedos para identificar cada palavra, frase ou letra, conforme a língua de sinais americana.

Esses sinais, então, são enviados por uma rede sem fios a um smartphone, que traduz cada um deles em palavras faladas no ritmo de uma por segundo.

Os cientistas da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), onde o projeto foi desenvolvido, acreditam que a inovação pode facilitar a comunicação de pessoas com deficiência auditiva.

Assista e leia também:

UnB cria máquinas que descontaminam e permitem reutilização de máscaras N95

Casa geriátrica do RS cria 'túnel do abraço' para aproximar familiares e idosos

ONG busca ajudar famílias com parentes com deficiência durante a pandemia

“Esperamos que isso abra um caminho mais fácil para as pessoas que usam língua de sinais se comunicarem diretamente com quem não entende essa linguagem, sem a necessidade de alguém para traduzir por eles”, explicou o líder das pesquisas, Jun Chen.

“Além disso, esperamos que possa ajudar mais pessoas a aprender a língua de sinais”, afirmou ele.

A pesquisa foi publicada na revista eletrônica Nature Electronics. Estima-se que entre 100 mil e 1 milhão de pessoas se comuniquem através da língua de sinais americana nos EUA. A luva, no entanto, não traduz a língua de sinais britânica, usada por cerca de 151 mil adultos no Reino Unido, segundo a Associação Britânica de Surdos.

Os pesquisadores também acrescentaram sensores adesivos no rosto das pessoas — entre as sobrancelhas e em um lado da boca — que participaram dos testes do dispositivo, para capturar as expressões faciais que fazem parte da língua de sinais.

Chen disse que o produto é mais leve que outros sistemas similares desenvolvidos anteriormente. Mais de 300 línguas de sinais são usadas por cerca de 70 milhões de pessoas com deficiência auditiva em todo o mundo.

(Texto traduzido, clique aqui e leia o original em inglês.)