Não, a Nasa não criou um 13º signo do zodíaco

A Nasa não inventou Ofiúco, 13º signo zodiacal que os babilônios omitiram do calendário astrológico de 3.000 anos

Scottie Andrew, da CNN
18 de julho de 2020 às 14:35
Mapa astrológico
Foto: vladm/Shutterstock (17.jul.2020)

Cientistas da Nasa não estudam astrologia, nem são responsáveis pela criação de um 13º signo do zodíaco pouco conhecido.

Mas é fato que eles escreveram no blog no Tumblr para esclarecer esse tema. Várias vezes.

Na página oficial da Nasa no Tumblr, a agência espacial norte-americana acabou de vez com os boatos de que havia alterado drasticamente o calendário astrológico para incluir estrelas que estavam ignoradas. Os usuários de mídias sociais passaram a compartilhar amplamente gráficos, alegando que a Nasa era responsável por adicionar Ofiúco (ou Ophiuchus), o novo 13º signo, ao conjunto tradicional dos 12 signos.

Leia também:

Eau de Space: a pedido da Nasa, químico lança perfume com o aroma do espaço

Nasa se prepara para mudar órbita de asteroide próximo à Terra pela primeira vez

O trote ressurgiu várias vezes na última década. A postagem verdadeira no blog da Nasa foi originalmente escrita em 2016, quando rumores sobre um abalo no zodíaco aconteceram, mas a agência compartilhou de novo esta semana o texto para que ele fosse visto pelo restante da internet.

Não, a Nasa não criou um 13º signo do zodíaco. Ofiúco é uma das 13 principais constelações do zodíaco, segundo os antigos babilônios, que o deixaram de fora do zodíaco porque seguiram o calendário de 12 meses, aos quais atribuíram as outras 12 constelações. Ofiúco não fez parte do pacote babilônico, conforme a Nasa escreveu no Tumblr.

Outro ponto mais óbvio que a agência teve que destacar em seu post: a Nasa não estuda astrologia. Essa é uma pseudociência, o que significa que seus princípios não estão enraizados em fatos – não que isso tenha impedido, até hoje, que milhões de habitantes da Terra se voltem para as estrelas para prever seu futuro.

Mas o horóscopo ocidental é baseado em constelações muito reais, cujas formas inspiraram os antigos gregos a desenvolver a mitologia ao seu redor. Os primeiros astrólogos atribuíram significados a cada um dos 12 símbolos do zodíaco, que foram pensados para informar o temperamento das pessoas nascidas dentro da duração de cada signo. Não há base científica para o que significa cada signo.

Cientistas da Nasa são astrônomos que estudam o espaço e os corpos astrais, incluindo estrelas. A agência não é autoridade do calendário astrológico, mas observou como as posições das constelações mudaram desde que os babilônios dividiram o zodíaco há 3.000 anos.

Aqui está a explicação da Nasa:

“As constelações são de tamanhos e formas diferentes, então o Sol passa diferentes períodos de tempo com cada uma. A linha que vai da Terra até o Sol aponta para Virgem durante 45 dias no ano, mas aponta para Escorpião por apenas sete dias. Para combinar com seu calendário de 12 meses, os babilônios ignoraram o fato de que o Sol realmente se move através de 13 constelações, e não 12. Então eles atribuíram a cada uma dessas 12 constelações quantidades iguais de tempo”.

Portanto, não culpe a Nasa se de repente duvidar do seu signo. Culpe os babilônios por negligenciar Ofiúco em primeiro lugar.

(Texto traduzido, leia o original em inglês)