Telescópio Hubble captura imagem nítida do verão em Saturno


Jack Guy, da CNN
27 de julho de 2020 às 15:21
Telescópio espacial Hubble capturou imagem do hemisfério norte de Saturno

Telescópio espacial Hubble capturou imagem do hemisfério norte de Saturno

Foto: Nasa/ ESA/ A. Simon/ M.H. Wong/ Opal

O telescópio espacial Hubble, da Nasa, capturou uma foto nítida do verão em Saturno. A imagem foi feita em 4 de julho, quando o planeta gigante estava a cerca de 1,35 bilhão de quilômetros da Terra, de acordo com um comunicado da agência norte-americana.

A foto mostra como é o verão no hemisfério norte de Saturno, que está apontado para a Terra. Uma leve névoa avermelhada pode ser vista sobre a área.

Os cientistas dizem que isso pode ser resultado do aquecimento devido ao aumento da luz solar, o que pode afetar a circulação ou o conteúdo de gelo da atmosfera. Outra possibilidade é que mais luz solar cause mudanças na quantidade de neblina fotoquímica.

"É incrível que, ao longo de alguns anos, vejamos mudanças sazonais em Saturno", disse a pesquisadora Amy Simon, do Centro de Voo Espacial Goddard da Nasa.

Se olhar atentamente para a foto, é possível notar um tom azul no polo sul, devido a mudanças na atmosfera de inverno do planeta. Também é possível ver as duas luas de Saturno na imagem: Mimas, à direita, e Enceladus, à esquerda.

Assista e leia também:

Um dos primeiros exoplanetas descobertos talvez nunca tenha existido

Olhe para cima: Internet ajuda a explorar o céu durante quarentena

A imagem faz parte de um projeto chamado Legado Atmosférico de Planetas Exteriores (Opal, em inglês), que visa melhorar o entendimento da dinâmica e evolução atmosférica em planetas gigantes de gás, como Saturno e Júpiter.

Os cientistas da Opal estão analisando padrões climáticos e tempestades em Saturno – na imagem, foram registradas várias pequenas tempestades atmosféricas.

A foto também é nítida o suficiente para mostrar como a cor de certas bandas muda levemente a cada ano. Saturno é em grande parte marrom-amarelado devido ao fato de que a atmosfera é composta principalmente de hidrogênio e hélio com traços de amônia, metano, vapor de água e hidrocarbonetos.

Também é possível ver os famosos anéis de Saturno em detalhes incríveis. Eles são constituídos principalmente de pedaços de gelo, mas ninguém realmente entende como e quando se formaram.

Muitos cientistas acreditam que têm mais de 4 bilhões de anos, a mesma idade de Saturno, mas outros dizem que só surgiram algumas centenas de milhões de anos atrás, quando os dinossauros percorreriam a Terra.

Em abril, o Hubble comemorou 30 anos no espaço, período em que suas imagens contribuíram para uma série de descobertas emocionantes.

O telescópio permitiu aos astrônomos de todo o mundo estudar buracos negros, energia escura, galáxias distantes e fusões galácticas.

Ele observou planetas fora do nosso sistema solar e onde eles se formam em torno de estrelas, a formação e a morte de estrelas, e até mesmo viu luas anteriormente desconhecidas ao redor de Plutão. Nada mau para um telescópio que foi projetado para durar apenas 15 anos.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original, em inglês)