Novo 'estranho dinossauro' de 220 milhões de anos é descoberto nos EUA

Animal seria uma "combinação" entre tamanduá e camaleão

Pedro Teodoro*, da CNN, em São Paulo
19 de outubro de 2020 às 15:56
Desenho retrata como seria o novo drepanossauro
Foto: Cortesia do National Park

Novos fósseis descobertos no Petrified Forest National Park, Arizona, Estados Unidos, revelam uma espécie de réptil escavador de 220 milhões de anos, conhecido como drepanossauro. 

Esta nova espécie de dinossauro, chamada Skybalonyx skapter, foi anunciada no mês de outubro em um estudo publicado no Journal of Vertebrate Paleontology.

A nova espécie, da família dos drepanossauros, foi identificada por uma equipe colaborativa de pesquisadores do Parque Nacional da Floresta Petrificada, Virginia Tech, University of Washington, Arizona State University, Idaho State University e do Virginia Museum of Natural History.

Segundo os pesquisadores responsáveis pelo anúncio, os drepanossauros são “um estranho grupo de répteis antigos conhecidos nas rochas do Triássico do hemisfério norte e possuíam uma variedade de morfologias, incluindo segundas garras aumentadas, bicos parecidos com pássaros e caudas terminando com uma garra”.  

Leia também:
Tubarões mataram 7 pessoas na Austrália neste ano, recorde desde 1934. Por quê?
Garoto de 12 anos encontra fóssil de dinossauro de 69 milhões de anos
Após 3 mil anos, diabos-da-tasmânia estão retornando à Austrália continental

O estudo aponta que há chance de que a espécie descoberta recentemente seja uma combinação de um tamanduá e um camaleão.

Além disso, foi analisado “que Skybalonyx tem características semelhantes a animais escavadores, como toupeiras, equidnas e ratos-toupeira, muito diferente de outros drepanossauros que têm garras adequadas para escalar e viver em árvores”. 

Os processo de extração dos fósseis do Skybalonyx, de acordo com a equipe responsável, “foi tão difícil de encontrar usando métodos de campo paleontológicos normais e foram felizmente descobertos com o auxílio de um novo método de lavagem de rocha fossilífera, em que as rochas são quebradas com água por meio de uma série de metal telas”. 

O Petrified Forest National Park é um renomado centro científico americano e é voltado para o campo da arqueologia, ecologia e paleontologia.  

(*Supervisão de Evelyne Lorenzetti)