Engenheiro de 104 anos termina tese de doutorado em meio à pandemia

Ele diz que, durante a pandemia de Covid-19, encontrou a resposta para um problema sobre o caudal dos rios, assunto que investigava há mais de 30 anos

Jéssica Otoboni, da CNN, em São Paulo
11 de dezembro de 2020 às 07:25
Lucio Chiquito, de 104 anos, busca obter doutorado em meio à pandemia
Lucio Chiquito, de 104 anos, busca obter doutorado em meio à pandemia de Covid-19
Foto: Reprodução / CNN

O engenheiro colombiano Lucio Chiquito, de 104 anos, acabou de enviar sua tese de doutorado à Universidade de Manchester, no Reino Unido. Ele disse que, durante a pandemia de Covid-19, encontrou a resposta para um problema sobre o caudal dos rios, assunto que investigava há mais de 30 anos. Agora, ele espera que um júri avalie o trabalho para poder se graduar. 

"Dediquei-me a buscar uma metodologia que dê a resposta exata de qual é o caudal máximo de um rio que produza o rendimento máximo", disse ele. O caudal é o volume total de água que passa em um determinado ponto durante um certo período de tempo, representado em metros cúbicos por segundo.

Assista e leia também:
Hospitais lotam nos EUA às vésperas de Colégio Eleitoral oficializar Biden
Estudo: Economia brasileira deve voltar a encolher em 2021 com 2ª onda de Covid
Cigarro ilegal perde espaço com fronteira fechada na pandemia; como manter isso?
Fim do mistério: nos 40 anos do Chester, empresa divulga fotos do animal vivo

"Escrevi à universidade. Disse que tinha 73 anos, havia me graduado em Magistério de Ciência e Tecnologia e [perguntei] se eu poderia pegar um doutorado. E [disseram] 'claro'", contou ele.

Durante a carreira profissional, Chiquito foi cofundador de três grandes empresas no Departamento de Antioquia, entre elas o grupo Empresas Públicas de Medellín (EPM), um dos maiores da Colômbia. Ele também foi um dos pioneiros da Escola de Engenharia de Antioquia.

Nascido em 22 de maio de 1916 na cidade de Cali, o engenheiro afirmou que sempre aplicou na própria vida a máxima de um poeta israelense cujo nome ele não se lembra mais – algo como "se não trabalha com amor, deixe seu trabalho, sente-se na porta de sua casa e espere pela volta dos que trabalham com amor".

A mulher de Chiquito morreu há cinco anos e ele vive hoje na cidade de Medellín, perto dos filhos e netos. O colombiano diz que todos os dias tem motivos para iniciar novos projetos.

Ele conta que durante todo esse tempo de pandemia não contraiu Covid-19. Como explicação para isso, Chiquito afirmou que é preciso seguir as orientações e nunca perder a fé.

Lucrecia Chiquito, filha de Lucio, disse que ele sempre ensinou os filhos com exemplo e não imposições.

O colombiano também foi um dos primeiros a incluir mulheres no mundo empresarial no país. "Para nós, como mulheres, é um orgulho imenso que ele sempre pense que nós devemos ter um espaço importante, não somente na sociedade, mas também em diferentes lugares, como líderes", afirmou Carolina Mejía, neta de Lucio.

Para ele, a conquista do doutorado seria um reconhecimento por todo o esforço, trabalho e dedicação incansável a serviço dos demais.

(Com informações de Fernando Ramos, da CNN, em Medellín, Colômbia)