Turismo espacial: teste de nave da Virgin é abortado após falha em motor

Falha inesperada em motor fez com que nave da Virgin Galactic retornasse ao solo em teste nos EUA. Problema é novo atraso para indústria de turismo espacial

Por Jackie Wattles, da CNN
14 de dezembro de 2020 às 04:04
Imagem de teste de voo abortado pela Virgin Galactic no sábado (12)
Imagem de teste de voo abortado pela Virgin Galactic no sábado (12)
Foto: Jack Beyer/ Twitter/ Reprodução


Uma espaçonave supersônica da Virgin Galactic estava programado para chegar à atmosfera em um teste no último sábado - mas, quando ganhava altura após uma decolagem no Novo México presa à sua nave-mãe, a nave espacial fez uma curva inesperada para retornar ao solo, em vez de disparar em direção ao céu.

A empresa informou que o avião espacial, que transportava os pilotos de teste CJ Sturckow e Dave Mackay, pousou com segurança. O problema no experimento representa um novo atraso para a indústria de turismo espacial.

Leia também:
Virgin Galactic e Nasa se aliam para missões privadas à Estação Espacial

Hubble observa exoplaneta semelhante ao suposto “Planeta Nove” do nosso sistema

"A sequência de ignição do motor da espaçonave não foi concluída", disse a empresa via Twitter. "O veículo e a tripulação estão em ótimo estado. Temos vários motores prontos no Spaceport America. Verificaremos o veículo e voltaremos ao voo em breve."

Segundo o CEO da Virgin Galactic, Michael Colglazier, um ex-executivo da Disney, o "computador de bordo que monitora o motor da espaçonave da VSS Unity perdeu a conexão".

Isso desencadeou uma "medida de segurança que interrompeu intencionalmente a ignição do motor do foguete", disse Colglazier.

Ele acrescentou que a Virgin Galactic analisará os dados coletados durante o voo e definirá uma nova data para refazer o voo de teste em um "futuro próximo".

Essa missão era para ser o terceiro voo de teste do VSS Unity a ultrapassar a marca de 50 milhas (cerca de 80 quilômetros), que o governo dos EUA considera ser o início do espaço sideral. Esse também deveria ser o primeiro voo de teste com espaçonave que a Virgin Galactic realizou no Novo México, onde um espaçoporto foi montado ao custo de mais de US$ 200 milhões de dinheiro público e estava esperando por quase uma década pela Virgin Galactic se mudar para região e abri-lo.

Se tudo tivesse ocorrido como planejado, o VSS Unity teria acendido seu motor de foguete por um minuto ou mais enquanto o veículo ganhava altura, subindo nas camadas superiores da atmosfera.

Destaques do CNN Brasil Business:
A LEGO não produz armamentos modernos, mas aficionados criam modelos próprios

Ikea para de fazer seu catálogo após 70 anos

Mas, em imagens capturadas pela publicação focada no espaço NASASpaceflight, o motor pareceu piscar por apenas um breve momento antes de desligar. O software de rastreamento de voo mostrou que o veículo pousou no espaçoporto.

O programa de desenvolvimento da empresa enfrentou anos de atrasos por uma variedade de razões, incluindo um acidente fatal em 2014 que matou um piloto de teste, bloqueios de tecnologia e, mais recentemente, a pandemia de Covid-19.

A tentativa de voo de teste de sábado já estava atrasada. O voo estava programado para novembro, mas a Virgin Galactic adiou a missão depois que um aumento nos casos do novo coronavírus levou o governo do estado do Novo México a implementar novas restrições.

A Virgin Galactic mudou-se para as instalações do Novo México em maio de 2019. A empresa remodelou o prédio para incluir um lounge e outras comodidades que os turistas que já compraram bilhetes (reservados por valores entre US$ 200.000 e US$ 250.000) poderão usar antes de breve jornada até o limite do espaço.

A Virgin Galactic diz que tem cerca de 600 clientes até agora e que a empresa espera reabrir as vendas de tickets em breve.

No entanto, espera-se que os novos ingressos tenham um preço superior a US $ 250.000 - que já é mais do que o preço médio de uma casa nos Estados Unidos - quando isso acontecer.

Antes disso, no entanto, a empresa diz que ainda precisa realizar outro voo de teste que levará quatro membros da tripulação na cabine da VSS Unity. A companha afirma que também buscará realizar sua missão há muito prometida de levar o fundador da Virgin Galactic, Richard Branson, de 70 anos, ao espaço antes de iniciar operações comerciais mais amplas.