Apple e TikTok removem app para organizar festas durante a pandemia

Vybe Together é aplicativo que fala em 'rebeldia' e estimula reuniões proibidas por autoridades de saúde em razão da Covid-19

Chris Isidore, do CNN Business
01 de janeiro de 2021 às 21:59
Pessoa manipula smartphone com logotipo da TikTok
Jovem manipula smartphone com logotipo da TikTok
Foto: Dado Ruvic/Illustration/Reuters

O Vybe Together, um aplicativo que permitia às pessoas organizar e comparecer a festas que poderiam violar protocolos de segurança da pandemia de Covid-19, foi retirado da App Store da Apple.

Já o TikTok também confirmou ter removido a conta ligada ao app por violar as diretrizes da comunidade sobre informações incorretas sobre vírus.

O aplicativo usou sua conta no Instagram, que permanece online, para explicar por que desapareceu de iPhones e iPads: “A App Store nos derrubou!!! Nós voltaremos!!”

A conta do Instagram sugere o uso do aplicativo para “encontrar sua vybe”, com “noites de vinhos, jogos de beer pong e dança num apartamento perto de você”.

O slogan do aplicativo é algo como “Liberte seu rebelde. Liberte sua festa”. Nem o Vybe Together nem a Apple (AAPL) responderam imediatamente às solicitações de comentários, mas o TikTok confirmou que removeu o perfil do aplicativo por violar as diretrizes da comunidade criadas para conter a desinformação sobre a Covid-19.

Assista e leia também:

Governo dos EUA recorre de ordem que suspende restrições ao TikTok

O que se sabe até agora sobre o carro elétrico autônomo da Apple

Aglomerações são registradas durante Réveillon na cidade de São Paulo

Sem distanciamento, multidão passa Réveillon em praia de Cabo Frio (RJ)

Segundo a empresa, o Vybe Together tinha 139 seguidores, três vídeos e não era anunciante do TikTok. A ação contra o aplicativo foi relatada pela primeira vez no site The Verge.

O Vybe Together tinha uma página de perguntas frequentes, agora removida, que sugeria apoiar pequenas reuniões, não grandes, segundo o site.

“Estamos cientes de que a Covid-19 é um grande problema de saúde para o país, nossas comunidades, nossos amigos e familiares”, dizia a página do aplicativo.

"Se todos nós pudéssemos ficar isolados, isso poderia realmente ir embora. Fazer grandes festas é muito perigoso. É por isso que não apoiamos isso. Mas Vybe é um compromisso – sem grandes festas, e sim pequenas reuniões. Poderíamos estar vivendo, pelo menos um pouco, durante esses tempos com Vybe”.

Os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDCs) desaconselham a realização de reuniões sociais, mesmo que pequenas, devido ao risco de propagação do coronavírus.

“Quanto mais pessoas se interagem em uma reunião e quanto mais tempo a interação dura, maior o risco potencial de se infectar com a propagação de Covid-19”, escreveu o CDC em suas diretrizes. Muitos governos locais também emitiram diretivas proibindo reuniões.

O aplicativo Vybe Together foi criticado nas redes sociais na terça-feira (29), antes que a Apple e a TikTok entrassem em ação. Taylor Lorenz, redator de tecnologia e internet do New York Times, estava entre os críticos do aplicativo Vybe Together.

“Algumas pessoas terríveis criaram um aplicativo completo para localizar e promover grandes festas inseguras e estão usando o TikTok para comercializá-lo para milhões de pessoas”, tuitou o jornalista. “Eles estão atualmente promovendo festas secretas de Ano Novo em Nova York”.

Lorenz identificou um cofundador da Vybe Together e incluiu a página de perfil da pessoa no LinkedIn. Essa página estava offline na manhã de quarta-feira (30).

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).