Fabricante de equipamento para gamers cria máscara que ventila e amplifica a voz

Grande fabricante de hardware conhecida por seus mouses e laptops, a empresa diz que a máscara usa um respirador N95 de grau médico

Jack Guy, da CNN
13 de janeiro de 2021 às 13:33 | Atualizado 13 de janeiro de 2021 às 13:50
Máscara com amplificador
A máscara reutilizável possui um microfone para amplificar a voz do usuário
Foto: Cortesia de Razer

A fabricante de equipamentos para gamers Razer criou uma máscara facial reutilizável com respirador de nível médico e um microfone e amplificador embutidos.

Batizada de Projeto Hazel, a máscara, que atualmente é um conceito e não está disponível para compra, integra “as questões ambientais das máscaras descartáveis, ao mesmo tempo em que aprimora as características de uma cobertura de proteção individual multiuso”, de acordo com um comunicado de imprensa da Razer, publicado na terça (12).

Grande fabricante de hardware conhecida por seus mouses e laptops, a empresa diz que a máscara usa um respirador N95 de grau médico; ventiladores removíveis e recarregáveis; e reguladores de fluxo de ar.

 

Os ventiladores podem ser recarregados e higienizados, colocando-os dentro da caixa de carregamento sem fio, que possui desinfetantes de luz UV.

A empresa disse que a máscara à prova d'água e resistente a arranhões é feita de plástico reciclável, reduzindo ainda mais seu impacto ambiental.

Máscara Razer
A caixa de carregamento sem fio também desinfeta a máscara usando luz ultravioleta
Foto: Cortesia de Razer

O design transparente da máscara permite que as pessoas vejam o rosto do usuário. As luzes dentro da máscara são ativadas automaticamente no escuro. Um microfone e amplificador melhoram a fala abafada.

Além disso, os usuários podem personalizar sua aparência ativando duas zonas de iluminação com uma escolha de 16,8 milhões de cores e uma variedade de efeitos de iluminação dinâmicos.

“O conceito de máscara inteligente do Projeto Hazel se destina a ser funcional, mas confortável e útil para interagir com o mundo, enquanto mantém uma estética sociável”, detalhou Min-Liang Tan, cofundador e CEO da Razer, no comunicado.

 

A Razer disse que otimizará a máscara por meio de testes e feedback dos usuários, mas não disse quando poderá colocá-la em produção. 

No início da pandemia de coronavírus, a Razer usou fábricas na China para fazer máscaras faciais. Em maio, a empresa, com sedes em Singapura e Las Vegas, disse que daria milhões de máscaras faciais gratuitas em Singapura, quando o país enfrentava um aumento nos casos de coronavírus.

(Texto traduzido, leia o original em inglês).