Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Após 100 anos, espécie de baleia volta a aparecer na costa da Argentina

    Mamífero gigante despareceu da costa patagônica argentina há um século por causa da caça

    Baleias-sei voltam a aparecer na costa da Argentina após 100 anos
    Baleias-sei voltam a aparecer na costa da Argentina após 100 anos Cristian Dimitrius/Jumara Films/Divulgação

    Anna Portellada Reuters

    em Buenos Aires

    As baleias-sei que desapareceram da costa patagônica da Argentina há um século devido à caça estão começando a aparecer novamente. Isso demonstra como as espécies podem se recuperar quando medidas para protegê-las são implementadas.

    Nas décadas de 1920 e 1930, os navios baleeiros regulares ao longo da costa da Argentina viram a população de baleias-sei desaparecerem. Nos últimos 50 anos, a proibição global da caça comercial de baleias ajudou a recuperar as populações tanto dessa espécie quanto de outras.

    “Elas desapareceram porque foram caçadas, não foram extintas, mas foram tão reduzidas que ninguém as via”, disse Mariano Coscarella, biólogo e pesquisador de ecossistemas marinhos do órgão científico estatal argentino Conselho Nacional de Investigações Científicas e Técnicas (Conicet).

    Coscarella acrescentou que foram necessárias décadas para que os números se recuperassem ao ponto das baleias serem avistadas novamente, o que só começou a acontecer nos últimos anos.

    “Nesse caso, foram necessários mais de 80 anos”, disse Coscarella. “Elas se reproduzem a cada 2 ou 3 anos e, portanto, foram necessários quase 100 anos para que elas tivessem um número apreciável de indivíduos para que as pessoas percebessem que elas ainda estão lá.”

    No mês passado, a equipe trabalhou para equipar algumas baleias-sei com rastreadores de satélite para mapear seus padrões de migração, com financiamento do projeto Pristine Seas da National Geographic. Eles gravaram imagens delas a partir de barcos, drones e debaixo d’água.

    “Podemos considerar isso um sucesso da conservação em escala global”, afirmou Coscarella, acrescentando que a determinação global sobre a caça às baleias foi fundamental para a melhoria dos números.

    Ele alerta, no entanto, que se os países decidirem deixar esse acordo isso poderia prejudicar a recuperação das baleias-sei e outras espécies ameaçadas pela caça.

    “Depois da caça que reduziu quase que completamente a população (de baleias-sei), quase 100 anos depois essa população começou a se recuperar e agora elas vêm para os mesmos lugares que costumavam ir antes de serem caçadas”, explicou.