Como a pimenta ajudou vencedor do Nobel de Medicina a entender sensação de calor

Substância capsaicina, que induz uma sensação de ardor e está presente nas pimentas, ajudou a identificar sensor reativo na pele

Pimentas foram estudadas por equipe vencedora do Nobel para apurar reação ao calor
Pimentas foram estudadas por equipe vencedora do Nobel para apurar reação ao calor Freepik/Dashu83

Ivana Kottasováda CNN*

Ouvir notícia

O Prêmio Nobel 2021 em fisiologia e medicina foi concedido a David Julius e Ardem Patapoutian por suas descobertas sobre os receptores de temperatura e toque do corpo.

Os dois cientistas receberam o reconhecimento por descrever a mecânica de como os seres humanos percebem o calor, o frio e a pressão através dos impulsos nervosos.

Julius é professor na Universidade da Califórnia, em São Francisco. Já Patapoutian é professor no Howard Hughes Medical Institute na Scripps Research, em La Jolla, Califórnia.

“Nossa capacidade de perceber o calor, o frio e o toque é essencial para a sobrevivência e sustenta nossa interação com o mundo ao nosso redor”, afirmou o comitê do Nobel na declaração que anunciou o prêmio.

“Julius utilizou capsaicina, o composto pungente das pimentas que induz uma sensação de ardor, para identificar um sensor que responde ao calor nas extremidades nervosas da pele”

“Patapoutian usou células sensíveis à pressão para descobrir uma nova classe de sensores que respondem a estímulos mecânicos na pele e nos órgãos internos”, acrescentou a nota.

Thomas Perlmann, secretário da Assembleia e do Comitê Nobel, disse que a descoberta “desvenda os segredos da natureza”.

“Ela explica a nível molecular como esses estímulos são convertidos em sinais nervosos. É uma descoberta importante e profunda”, diz.

O Comitê Nobel explicou que, quando Julius começou a estudar por que a capsaicina induz uma sensação de ardor, já se sabia que o composto ativa as células nervosas causando dor – mas como exatamente isso acontecia era um “enigma não resolvido”.

Julius e sua equipe criaram uma biblioteca de milhões de fragmentos de DNA correspondentes a genes que são expressos nos neurônios sensoriais que podem reagir à dor, ao calor e ao toque.

Eles então conectaram genes desta coleção em células que normalmente não reagem à capsaicina para encontrar o único gene que causou a sensibilidade.

Julius percebeu mais tarde que o receptor de capsaicina descoberto é um receptor sensível ao calor, ativado a temperaturas que são percebidas como dolorosas, informou o Comitê Nobel.

Prêmio Nobel de Medicina
David Julius e Ardem Patapoutian são os ganhadores do Prêmio Nobel 2021 em Medicina / Niklas Elmehed / Prêmio Nobel

Ao mesmo tempo, Patapoutian e seus colaboradores estavam tentando entender como os estímulos mecânicos poderiam ser convertidos em nossos sentidos de tato e pressão.

Eles identificaram uma linha celular que reagia quando suas células individuais eram perfuradas com uma micropipeta.

Com isso, a equipe identificou então 72 genes candidatos que poderiam estar codificando receptores e os “desligou” um a um para descobrir o responsável pela sensibilidade mecânica.

Abdel El Manira, um membro adjunto do Comitê Nobel de Fisiologia e Medicina, disse que a descoberta foi feita há mais de uma década.

“É o momento certo (para ela) para ser reconhecida. Mudou profundamente nossa visão de como sentimos o mundo. No último ano, sentimos falta de nosso senso de toque – durante um abraço, por exemplo. Estes são os receptores que nos dão a sensação de calor e de proximidade”, disse ele.

Veja o cronograma do anúncio dos vencedores do Nobel:

  • Medicina: segunda-feira (4)
  • Física: terça-feira (5)
  • Química: quarta-feira (6)
  • Literatura: quinta-feira (7)
  • Paz: sexta-feira (8)
  • Economia: segunda-feira (11)

*Katie Hunt, da CNN, contribuiu para a reportagem

**Essa matéria foi traduzida. Leia a original, em inglês

Mais Recentes da CNN