Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Fóssil revela improvável ataque a dinossauro por mamífero do tamanho de um gato

    Fóssil desenterrado na China é raridade e desmistifica sabedoria herdada de que interações eram unilaterais

    O fóssil de 125 milhões de anos, encontrado na província chinesa de Liaoning, mostra os esqueletos de um mamífero pré-histórico semelhante a um texugo atacando um dinossauro maior chamado Psittacosaurus. A barra de escala é igual a 10 centímetros
    O fóssil de 125 milhões de anos, encontrado na província chinesa de Liaoning, mostra os esqueletos de um mamífero pré-histórico semelhante a um texugo atacando um dinossauro maior chamado Psittacosaurus. A barra de escala é igual a 10 centímetros Gang Han

    Katie Huntda CNN

    Em algum momento durante o período Cretáceo, 125 milhões de anos atrás, um mamífero agressivo do tamanho de um gato doméstico encontrou um dinossauro três vezes maior que ele e pensou que seria uma boa ideia para uma refeição saborosa.

    Um fóssil, desenterrado no nordeste da China, captura as duas criaturas – um animal parecido com um texugo chamado Repenomamus robustus e uma espécie de dinossauro herbívoro conhecido como Psittacosaurus – travados para sempre em um combate mortal.

    É um momento dramático no tempo que desafia a ideia de que os primeiros mamíferos viveram nas sombras dos dinossauros, disse o paleobiólogo Jordan Mallon, cientista pesquisador do Museu Canadense da Natureza.

    “O mamífero preservado aqui está entre os maiores mamíferos da época, e você está falando de um animal do tamanho de um gato doméstico. Eles não ficaram maiores do que isso. E havia muito pouca sobreposição de tamanho entre os mamíferos, que eram ordens de magnitude menores, e os dinossauros, que eram uma ordem de grandeza maior”, disse Mallon, coautor de um novo estudo publicado na terça-feira (18) na revista Scientific Reports sobre o notável fóssil.

    “A sabedoria herdada é que as interações ecológicas eram unilaterais: os dinossauros maiores comiam os mamíferos menores. E, isso muda essa ideia, parece que esses mamíferos poderiam derrubar um dinossauro maior se estivesse com fome ou desesperado o suficiente”.

    A reconstrução de um artista retrata o confronto / Michael W. Skrepnick

    Eventos vulcânicos podem produzir riquezas fósseis

    A descoberta não é a primeira evidência de que os primeiros mamíferos caçavam dinossauros – os restos de um psitacossauro foram encontrados no estômago de R. robustus em uma descoberta documentada em janeiro de 2005.

    O que torna esse fóssil excepcional é que o mamífero é flagrado no momento em que atacava o dinossauro quase adulto.

    É extremamente raro encontrar fósseis que preservam um animal interagindo com outro e lançam luz sobre o comportamento predatório de criaturas extintas, de acordo com Mallon.

    Esses exemplos estão entre os espécimes mais famosos do mundo, como os icônicos duelos de dinossauros – um fóssil que mostra um Triceratops horridus e um Tyrannosaurus rex em uma batalha eterna.

    Um close-up do fóssil mostra o pequeno Repenomamus robustus mordendo as costelas do Psitacossauro / Gang Han

    Um psitacossauro era um pequeno dinossauro bicudo que teria sido comum na região na época – um pouco como ovelhas hoje em dia, disse Mallon. O predador e a presa estavam quase totalmente crescidos quando o ataque ocorreu.

    Mallon disse que “estava salivando” quando teve a chance de estudar o fóssil, que foi encontrado em 2012 na província de Liaoning, na China, nas jazidas de fósseis de Lujiatun. O sítio é considerado pelos paleontólogos o equivalente a Pompeia, mas na forma de dinossauros. Ambos os esqueletos estão quase completos.

    “Este é (o) tipo de fóssil que se encontra uma vez na vida. Eles simplesmente não existem assim com muita frequência”, explicou.

    Mallon disse que as duas criaturas teriam morrido enquanto lutavam – soterradas repentinamente por um deslizamento de terra após uma erupção vulcânica.

    Um detalhe do fóssil mostra a pata dianteira esquerda de Repenomamus robustus enrolada na mandíbula inferior do dinossauro / Gang Han

    Predador x necrófago

    O fóssil mostra R. robustus segurando a mandíbula inferior do Psitacosaurus com sua pata dianteira esquerda. A pata traseira esquerda do mamífero está segurando o membro traseiro do dinossauro e seus dentes foram afundados nas costelas de sua presa.

    Mallon disse que ele e seus colegas determinaram que o mamífero era um predador em vez de um necrófago por vários motivos: não há marcas de mordida nos esqueletos que normalmente indicariam a necrofagia, e seria improvável que os dois animais estivessem tão entrelaçados se o mamífero tivesse encontrado um dinossauro morto.

    Artista faz representação do momento em que o Repenomamus robustus atacou o Psitacossauro há 125 milhões de anos / Michael W. Skrepnick

    “Todas essas várias linhas de evidência se juntam para sugerir que este foi um ato de predação que foi meio que extinto e preservado no momento”, disse Mallon.

    Era impossível saber se o mamífero teria saído vitorioso, segundo Mallon. No entanto, ele disse que era definitivamente “possível”, acrescentando que no mundo natural de hoje pequenos carnívoros atacam com sucesso animais muito maiores.

    “Uma doninha derrubará uma lebre com cinco vezes o seu peso corporal, ou um carcaju derrubará um caribu, ou até mesmo um alce”, disse ele.

    De qualquer maneira, no entanto, as duas criaturas pré-históricas foram condenadas.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original