Google impedirá exibição de anúncios com conteúdo conspiratório sobre Covid-19

Sites e aplicativos não poderão veicular propagandas com o que a empresa chamou de "conteúdo perigoso"

Logo do Google
Logo do Google Foto: Hannah McKay/Reuters (18.jan.2019)

Reuters

Ouvir notícia

O Google anunciou nesta sexta-feira (17) que vai proibir sites e aplicativos que usem sua tecnologia de anúncios publicitários de veicularem propagandas com “conteúdo perigoso”, que contrarie consenso científico durante a pandemia do novo coronavírus.

Exemplos de conteúdo que não poderá ser veiculado são anúncios que incluem teorias da conspiração, como a noção de que o coronavírus foi criado em laboratório da China como uma bioarma, afirmou a empresa.

Leia também:

Pandemia mudou padrões de consumo e interação social, diz presidente da Google

Atualmente, o Google permite apenas que alguns anunciantes publiquem propagandas sobre a pandemia, incluindo organizações governamentais e agentes de saúde.

Desde junho, a empresa proíbe conteúdo focado em lucrar com a pandemia ou que não tenha “sensibilidade” ao tratar da crise global de saúde, de acordo com a política de anúncios da ferramenta.

Mais Recentes da CNN