Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Instabilidade de redes sociais é mencionada por 2,5 milhões no Twitter

    Whatsapp, Facebook, Instagram e o Messenger ficaram fora do ar durante mais de seis horas nesta segunda-feira (04)

    Whatsapp, Facebook, Instagram e o Messenger ficaram fora do ar durante mais de seis horas
    Whatsapp, Facebook, Instagram e o Messenger ficaram fora do ar durante mais de seis horas John Schnobrich/Unsplash

    Lucas Janoneda CNN

    No Rio

    Ouvir notícia

    A instabilidade nas redes sociais, que durou mais de seis horas horas na tarde desta segunda-feira (4), causou uma repercussão recorde entre os brasileiros.

    Um levantamento feito pela consultoria Arquimedes, a pedido da CNN, mostra que pelo menos 2,5 milhões de brasileiros mencionaram o nome do WhatsApp, no Twitter, em menos de seis horas, repercutindo o tema.

    Ainda de acordo com o estudo, o Facebook foi mencionado por um milhão de pessoas no Brasil, no mesmo período. Segundo o presidente da consultoria Arquimedes, Pedro Bruzzi, “o número impressiona”.

    Para o especialista em tecnologia e Segurança Digital Arthur Igreja, a instabilidade pode estar relacionada aos DNS, protocolo que relaciona o endereço ‘normal’ de um site com o número de IP nos bancos de dados da internet.

    “Existe uma série de hipóteses, mas a mais provável é um problema com o DNS, a forma como acessamos o site, só vamos ter certeza quando realmente voltar. Normalmente esse tipo de problema é resolvido em alguns minutos. Mas hoje já está demorando algumas horas”, afirmou.

    Já o professor e economista da Fundação Getúlio Vargas, Joelson Sampaio, diz que houve um grande impacto econômico com a paralisação dessas redes. De acordo com ele, o aplicativo de mensagens afeta comerciantes e empresários que usam o aplicativo como ferramenta de trabalho.

    “O impacto econômico principal é para quem transaciona através do aplicativo, seja pela marcação de um serviço ou até a venda direta de um produto. Os setores de serviço e o comércio sãos os mais afetados”, conclui.

    Mais Recentes da CNN