“Lua de morango” ilumina o céu durante esta semana

Superluas são fenômenos que em que a lua cheia parece maior e mais brilhante que o comum

Lua de Morango em Ankara, na Turquia, em 25 de junho de 2021
Lua de Morango em Ankara, na Turquia, em 25 de junho de 2021 Ismail Duru/Anadolu Agency via Getty Images

Rachel FademAshley Stricklandda CNN

Ouvir notícia

A lua cheia de junho, conhecida como “lua de morango”, iluminará o céu durante essa semana.

A lua aparecerá cheia desde o início da noite de domingo (12), até o fim da noite de quarta-feira (15), segundo a Nasa. Ela atingirá seu pico durante a terça-feira. A lua de morango deste ano é a primeira de duas superluas consecutivas.

Apesar de não haver uma única definição, o termo superlua geralmente se refere a uma lua cheia que aparenta ser maior e mais brilhante do que as outras, porque está mais perto da órbita da Terra.

Para o observador casual, a superlua pode parecer similar em tamanho a outras luas. No entanto, a mudança notável no brilho aumenta a visibilidade e cria uma ótima oportunidade para que as pessoas comecem a prestar atenção à Lua e suas fases, disse Noah Petro, chefe do Laboratório de Geologia, Geofísica e Geoquímica Planetárias da Nasa.

Os momentos ideais para olhar para a Lua são quando ela está nascendo ou se pondo, que são os instantes em que aparenta estar maior a olho nu, disse Jacqueline Faherty, astrofísica no Museu Americano de História Natural.

Petro recomenda que os observadores da Lua encontrem um horizonte limpo e evitem áreas com muitos edifícios altos ou vegetação densa. Ele também adverte que locais com muita luz artificial podem atrapalhar a visibilidade máxima.

O nome da Lua de Morango é baseado em tradições de povos originários do nordeste dos EUA, de comunidades como os Algonquin, Ojibwe, Dakota e Lakota, que viam o evento celestial como um sinal de que os morangos e outras frutas estavam prontos para a colheita, segundo o site The Old Farmer’s Almanac, destinado a reunir elementos culturais desses povos.

Na Europa, essa lua é chamada de Lua de Mel ou Lua de Hidromel, e escritos históricos da região sugerem que o mel estava pronto para ser recolhido perto do fim do mês. Além disso, o nome Lua de Mel também se refere ao fato de que junho tem a reputação de um mês popular para casamentos nesses países.

Essa lua cheia corresponde ao festival hindu Vat Purnima, uma celebração onde mulheres casadas amarram um fio cerimonial em uma árvore Ficus e fazem jejum e orações para que seus cônjuges tenham uma vida longa.

Para os budistas, essa lua é chamada de Lua Poson Poya, nomeada a partir de um feriado celebrando a introdução do budismo no Sri Lanka em 236 a.C..

Haverá seis outras luas cheias em 2022, de acordo com The Old Farmer’s Alamanac:

  • 13 de julho: Lua dos Cervos
  • 11 de agosto: Lua dos Esturjões
  • 10 de setembro: Lua da Colheita
  • 9 de outubro: Lua dos Caçadores
  • 8 de novembro: Lua dos Castores
  • 7 de dezembro: Lua Fria

Esses são os nomes popularmente associados às luas cheias mensais, mas o significado de cada uma pode variar entre as diversas tribos de povos originários norte-americanos.

Eclipses lunares e solares

Haverá mais um eclipse lunar total e um solar parcial em 2022, segundo The Old Farmer’s Almanac.

Eclipses solares parciais ocorrem quando a Lua passa em frente ao Sol, mas bloqueia somente uma parte da sua luz. É recomendado usar óculos específicos para ver eclipses solares com segurança, uma vez que a luz solar pode ser perigosa para os olhos.

Um eclipse solar parcial será visível na Groenlândia, na Islândia, na Europa, no nordeste da África, no Oriente Médio, no Ásia Ocidental, na Índia e na China Ocidental, no dia 25 de outubro.

Um eclipse lunar total também será visível para aqueles na Ásia, na Austrália, no Pacífico, na América do Sul e na América do Norte em 8 de novembro.

Chuvas de meteoritos

Algumas chuvas de meteoros ainda devem ocorrer em 2022:

  • Delta Aquáridas do Sul: 29 e 30 de julho
  • Alfa Capricornídeos: 30 e 31 de julho
  • Perseidas: 11 e 12 de agosto
  • Oriónidas: 20 e 21 de outubro
  • Táuridas do Sul: 4 e 5 de novembro
  • Táuridas do Norte: 11 e 12 de novembro
  • Leónidas: 17 e 18 de novembro
  • Gemínidas: 13 e 14 de dezembro
  • Ursídeas: 21 e 22 de dezembro

Pode ser difícil ver as chuvas em áreas urbanas, por conta das luzes artificiais que clareiam o céu.

Para ter a melhor visão, é preciso encontrar uma área com ampla visão dos céus. É recomendado ter uma cadeira ou lençol para facilitar olhar diretamente para o alto. Ficar entre 20 e 30 minutos sem olhar para o celular ou outros eletrônicos pode ajudar os olhos a se acostumar com a escuridão, e facilitar a visão dos meteoros.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN