Não estamos vendo redução de emissões na prática, alerta vice-presidente do IPCC

À CNN Rádio, Thelma Krug analisou relatório do IPCC que mostra que a emissão mundial de gases estufa pode ser reduzida pela metade até 2030

Alexandros Maragos (Getty Images)

Amanda GarciaProduzido por Bel Camposda CNN

Ouvir notícia

A vice-presidente do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), Thelma Krug, fez um alerta, em entrevista à CNN Rádio, sobre as emissões de gases de efeito estufa.

Na segunda-feira (4), foi divulgado o terceiro relatório do IPCC, que apontou que a emissão mundial de gases estufa pode ser reduzida pela metade até 2030.

No entanto, segundo Thelma, “não estamos vendo as reduções na prática”: “Em 2019, tivemos 12% de emissões a mais do que em 2010, 54% a mais em relação a 1990.”

O documento levou cinco anos para ser elaborado e também projeta que 2025 é o limite para que a média anual global das emissões atinja seu ponto de inflexão e passe a cair.

“Os impactos desses aumentos de temperatura global são intensos e vão piorando, com a questão dos extremos: altas temperaturas, inundações, secas, tudo isso fica mais complicado”, disse.

Na avaliação de Thelma Krug, o “aumento das emissões em 2019 não indica que ninguém está fazendo nada”.

Ela destaca que há “vários países com sustentada redução de emissões”, inclusive com políticas públicas, mas que não há equilíbrio nas reduções entre as nações.

Outro fator importante, para Thelma, são as promessas feitas pelos países desenvolvidos para ajudar com financiamentos dos países emergentes para a mitigação das emissões: “Isso não está acontecendo.”

“Existe necessidade de participação do setor privado, particularmente dos bancos, faz parte do conjunto de possibilidades que o relatório apresenta, sem financiamento vai ficar difícil, senão impossível para os países em desenvolvimento se adequarem”, defendeu.

Mais Recentes da CNN