Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Nasa divulga imagem de árvore de Natal formada por estrelas; veja

    Aglomerado em formato de árvore de Natal fica a 2.500 anos-luz da Terra

    Imagem da Nasa mostra um aglomerado de estrelas em formato de árvore de natal
    Imagem da Nasa mostra um aglomerado de estrelas em formato de árvore de natal NASA/CXC/SAO

    Ashley Stricklandda CNN

    Novas imagens capturadas por dois telescópios espaciais mostram como a luz de estrelas jovens pode enfeitar o cosmos com a alegria do Natal.

    Aglomerados de estrelas que lembram uma árvore de Natal iluminada e um globo de neve cintilante brilham em novas observações feitas pelo Observatório de Raio-X Chandra e pelo Telescópio Espacial Hubble, respectivamente.

    Os dois são da Nasa, que recentemente divulgou novas imagens do planeta Urano capturadas pelo telescópio James Webb.

    NGC 2264, que fica a cerca de 2.500 anos-luz da Terra, também é chamado de Aglomerado da Árvore de Natal, onde um grupo de estrelas jovens rodeadas pela nuvem gasosa de uma nebulosa evoca uma decorada cósmica sempre verde com luzes cintilantes.

    As estrelas têm entre 1 e 5 milhões de anos e variam em tamanho: algumas são menores e outras maiores que o nosso sol. A nova imagem composta, girada 160 graus no sentido horário para que o topo da árvore fique na vertical, inclui diferentes comprimentos de onda de luz detectados pelo Chandra, bem como pesquisas terrestres.

    Numa versão animada da imagem, luzes azuis e brancas piscantes representam a luz de raios-X de estrelas jovens detectadas pelo Chandra.

    Enquanto isso, a nuvem de gás semelhante à árvore festiva brilha em luz óptica verde, como visto pelo telescópio WIYN de 0,9 metros da National Science Foundation em Kitt Peak, no deserto do Arizona-Sonoran.

    As estrelas brancas que brilham em toda a imagem foram reveladas por observações no infravermelho com o Two Micron All Sky Survey, que operou entre 1997 e 2001.

    O estudo de estrelas jovens, como as do Aglomerado da Árvore de Natal, oferece informações sobre a sua natureza volátil. Estrelas jovens podem liberar explosões fortes, mais poderosas do que as do nosso Sol. Os astrônomos continuam investigando o fenômeno.

    Um globo de neve estrelado

    O Telescópio Espacial Hubble teve que procurar um pouco mais longe para encontrar um país das maravilhas celestial do inverno. O Hubble observou os bilhões de estrelas que brilham dentro de uma galáxia anã chamada UGC 8091, que fica a 7 milhões de anos-luz da Terra, na constelação de Virgem.

    O arranjo galático das estrelas parece um pouco com fios de luzes desesperadamente emaranhados que foram guardados às pressas no final de uma temporada de férias. A desordem é resultado de UGC 8091 ser uma galáxia irregular que não possui a aparência estruturada de uma galáxia espiral ou elíptica.

    Não existem duas galáxias irregulares iguais e elas aparecem em uma variedade de tamanhos e formas. A forma irregular de uma galáxia pode ser o resultado de interações com outras galáxias, bem como de turbulência interna causada por objetos celestes, como estrelas em explosão.

    Galáxia anã UGC 8091 parece um globo de neve em imagem divulga pela Nasa
    Um bilhão de estrelas brilham na galáxia anã UGC 8091, que fica a 7 milhões de anos-luz de distância / NASA/Hubble/ESA

    A Wide Field Camera 3 do Hubble e a Advanced Camera for Surveys observaram UGC 8091 em diferentes comprimentos de onda de luz. Os dados foram coletados entre 2006 e 2021.

    A luz azul revelada numa imagem composta destas observações provém de estrelas recém-nascidas, enquanto as manchas rosa-avermelhadas brilhantes podem ser moléculas de hidrogênio que se aqueceram após interagirem com a luz das estrelas jovens e energéticas.

    Outras características brilhantes na imagem incluem estrelas mais antigas e galáxias distantes de fundo.

    As galáxias anãs eram comuns no início da história do universo e eventualmente se fundiram para criar galáxias maiores e mais estruturadas. Os astrônomos podem aprender sobre a evolução galáctica estudando galáxias anãs distantes e suas estrelas.

    Este conteúdo foi criado originalmente em Internacional.

    versão original