Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Peça de nave de turismo espacial cai e Virgin Galactic fica impedida de voar

    Perda da peça, chamada de pino de alinhamento, não afetou a segurança da missão, de acordo com a empresa

    A nave-mãe VMS Eve, da Virgin Galactic
    A nave-mãe VMS Eve, da Virgin Galactic Divulgação

    Jackie Wattlesda CNN

    A Virgin Galactic está impedida de voar após a empresa afirmar que uma pequena peça se soltou involuntariamente da nave-mãe de seu avião espacial movido a foguete em seu mais recente voo de turismo espacial.

    A perda da peça, chamada de pino de alinhamento, não afetou a segurança da missão, de acordo com a empresa. O voo, chamado de Galactic 06, foi lançado em 26 de janeiro e marcou a primeira missão de turismo espacial da Virgin Galactic do ano, após entrar em serviço comercial em 2023.

    A empresa descobriu a perda da peça durante verificações de rotina e notificou os reguladores governamentais em 31 de janeiro, “de acordo com regulamentos”, disse a Virgin Galactic em comunicado. O pino estava localizado na parte inferior da nave-mãe da Virgin Galactic, chamada VMS Eve, que é um avião de duas fuselagens projetado para transportar o avião espacial, VMS Unity, sob suas asas até uma alta altitude antes que o VMS Unity seja liberado e se eleve em direção à borda do espaço.

    O pino de alinhamento “ajuda a garantir que a espaçonave esteja alinhada com a nave-mãe ao unir os veículos no solo durante os procedimentos pré-voo”, disse a empresa em comunicado na segunda-feira. O pino também ajuda a transferir “arrasto e outras forças” da nave espacial para a estrutura de suporte que sustenta o avião movido a foguete enquanto ele está acoplado à nave-mãe VMS Eve, de acordo com a empresa.

    A Virgin Galactic disse que trabalhará junto com a Administração Federal de Aviação (FAA), que licencia lançamentos comerciais de foguetes, em uma revisão do problema. A FAA disse em comunicado que realizará uma “investigação de incidentes” e que a agência “deve aprovar o relatório final da Virgin Galactic, incluindo as ações corretivas”, antes que a empresa possa retornar ao voo.

    “O retorno ao voo é baseado na FAA determinando que qualquer sistema, processo ou procedimento relacionado ao incidente não afeta a segurança pública”, de acordo com um comunicado da agência. “Além disso, a Virgin Galactic deve solicitar e receber aprovação da FAA para modificar sua licença que incorpora as ações corretivas e atende a todos os outros requisitos de licenciamento”.

    A Virgin Galactic não pôde ser contatada imediatamente para comentários adicionais na noite de segunda-feira. Expectativas de voo Estruturas de fixação mais amplas permaneceram no lugar durante o voo, acrescentou a Virgin Galactic no comunicado, observando que o pino de alinhamento não “suporta o peso da nave espacial, nem tem uma função ativa depois que a nave espacial é liberada”. O VMS Unity geralmente voa fixado à nave-mãe VMS Eve até estar voando a mais de 45.000 pés (13.700 metros) acima da superfície da Terra. Uma vez na altitude, o VMS Unity se desprende da nave-mãe e acende seu motor de foguete, subindo em direção à borda da atmosfera.

    No geral, a missão Galactic 06 “foi um voo seguro e bem-sucedido realizado de acordo com os rigorosos procedimentos de voo e protocolos da Virgin Galactic”, disse a empresa. “Os voos da Virgin Galactic ocorrem em espaços aéreos restritos e em locais de lançamento geográficos específicos que controlam os riscos para pessoas ou estruturas no solo”, diz o comunicado da Virgin Galactic. “A empresa também não observou danos na nave espacial ou na nave-mãe”.

    A FAA é encarregada de dar a autorização final para empresas comerciais que esperam lançar foguetes e espaçonaves. No entanto, o papel da agência neste processo é apenas analisar o risco potencial que um voo representa para o público, pessoas ou propriedades – não o perigo para passageiros a bordo de veículos espaciais comerciais, de acordo com um moratório que expira em março de 2024.

    A FAA rotineiramente realiza investigações de incidentes com empresas privadas após uma falha de voo ou outro problema durante um lançamento comercial de foguetes. A Virgin Galactic disse que “fornecerá uma atualização adicional ao término da revisão conjunta da FAA e confirmará o período de voo para a missão ‘Galactic 07’, planejada para o segundo trimestre de 2024”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em Internacional.

    versão original