Produtora do Fortnite processa Apple após jogo ser retirado da App Store

A Apple citou um recurso de pagamento direto acrescentado ao app do Fortnite mais cedo nesta quinta-feira como violação de regras

Fortnite
Fortnite Foto: Mike Blake/Reuters

Stephen Nellis e Munsif Vengattil, da Reuters

Ouvir notícia

A Apple Inc removeu nesta quinta-feira (13) o popular jogo Fortnite da sua App Store por violar as orientações de pagamentos dentro do aplicativo. Em reação, a desenvolvedora Epic Games ingressou com um processo federal conta as regras da fabricante do iPhone.

A Apple citou um recurso de pagamento direto acrescentado ao app do Fortnite mais cedo nesta quinta-feira como sendo a violação.

A Epic Games entrou com o processo na Corte dos EUA sem pedir dinheiro da Apple, mas sim uma interveção que encerra algumas das práticas da empresa na App Store, que é a única forma de distribuir aplicativos para a maioria dos iPhones.

“A Apple se tornou o que ela vez uma vez combateu: uma gigante buscando controlar mercados, bloquear a competição e sufocar a inovação. A Apple é maior, mais poderosa, mais entranhada e mais perigosa do que os monoplistas de antigamente”, diz a empresa em seu processo, apresentado em um distrito da Califórnia.

A Epic também atacou a Apple nas redes sociais, lançando campanha com a hashtag #FreeFortnite, incentivando jogadores a buscar reembolsos da empresa caso percam acesso ao jogo e criando uma paródia do famoso anúncio “1984” da Apple.

Na paródia, que rapidamente alcançou centenas de milhares de visualizações, uma lutadora Fortnite arremessa um objeto com forma de um unicórnio para destruir uma tela na qual um personagem alusivo à Apple fala do “aniversário das diretrizes de unificação da plataforma”.

A Apple fica com uma parcela, que faria de 15% a 30% da maioria das assinaturas de aplicativos e pagamentos feitos dentro dos programas, embora existam algumas exceções para empresas parceiras, que usam a estrutura de pagamento da empresa — portanto, caso ofereçam pagamentos dentro do aplicativo, também beneficiariam a Apple.

Assista e leia também:

De olho em serviços digitais, Apple prepara pacotes de assinaturas

Xbox Series X sai em novembro, mas ‘Halo Infinite’ tem lançamento adiado

Sony revela especificações do novo PlayStation

Analistas acreditam que jogos são a maior fonte de pagamentos dentro da App Store, que se tornou o maior componente do segmento de serviços da Apple, que fatura em torno de US$ 46,3 bilhões por ano.

Em comunicado, a Apple disse que o Fortnite foi removido porque a Epic Games lançou um mecanismo de pagamentos com “a intenção expressa de violar as diretrizes da App Store” depois de ter tido aplicativos na loja ao longo de uma década.

“O fato que os interesses comerciais deles (Epic) agora os levaram a pressionar por um arranjo especial não muda o fato de que essas diretrizes permitem a competição entre todos os desenvolvedores e tornam a loja segura para todos os usuários”, completa a Apple.

Apple estava entre as grandes companhias americanas de tecnológica a serem submetidas a um escrutínio sobre falta de competição em audiência com parlamentares no último mês.

Durante essa audiência, o CEO da Apple, Tim Cook, argumentou que a empresa não é contra a competição porque não tem uma porção majoritária em alguns dos mercados em que opera, incluindo telefones celulares, onde os dispositivos Android, da Alphabet, são maioria.

O processo da Epic, no entanto, argumenta que a distribuição de aplicativos e os pagamentos dentro dos aplicativos para os dispositivos da Apple são um mercado à parte para propósitos contra a competição porque usuários da empresa raramente deixam o seu ecossistema “pegajoso”, de acordo com o processo da desenvolvedora.

O jogo de batalhas da Epic, Fortnite, alcançou popularidade massiva entre jovens jogadores desde que foi lançado em 2017, competindo com PlayerUnknown’s Battlegrounds, da Tencent. O título ser removido da App Store significa que novos jogadores não poderão baixá-lo e que atuais jogadores não podem baixar atualizações, mas o jogo continuará a funcionar nos dispositivos em que já está instalado. 

A Epic Games não informa quantos usuários de Fortnite no iOS existem. Muitos fãs jogam o jogo principalmente em computadores ou em consoles de videogame, utilizando os telefones celulares como um backup. Apesar disso, usuários do iPhone geram muito mais renda para a Epic.

Entre a App Store, da Apple, e a Play Store, do Google, Fortnite havia sido baixado em torno de 2 milhões de vezes em julho de 2020, de acordo com a empresa de análise mobile SensorTower. Usuários da Apple, no entanto, gastaram em torno de US$ 34 milhões, enquanto usuários do Android gastaram apenas US$ 2 milhões, informam os dados da SensorTower.

Google também remove Fortnite

O Google também removeu o Fortnite da Play Store. “No entanto, nós estamos abertos para a oportunidade de continuar nossas negociações com a Epic e trazer Fortnite de volta para o Google Play”, declarou o porta-voz do Google, Dan Jackson.

Jackson disse que a Epic violou a regra que exige que desenvolvedores usem o sistema de cobranças do Google para produtos dentro de jogos.

A Epic não comentou, até o momento, o movimento do Google. Como as funções do Android são diferentes das do iOS, usuários podem continuar baixando Fortnite do site da Epic e de outras lojas, que não a do Google, como a gerida pela Samsung, para instalá-lo em seus dispositivos, disse a empresa em um post de seu blog corporativo.

Em um comunicado, o Spotify, serviço de streaming rival à Apple, que também processou a empresa na Europa por acusação de truste, elogiou o movimento da Epic.

“As práticas injustas da Apple prejudicaram competidores e privaram consumidores por tempo demais”, disse a empresa de streaming. “Os critérios para consumidores e desenvolvedores de aplicativos, pequenos ou grandes, não serem maiores, garantindo que a plataforma do iOS opere de forma competitiva e justa são uma tarefa urgente, com grandes implicações”.

Tópicos

Mais Recentes da CNN