Quase 25% da população mundial conviveu com recorde de calor em 2021, diz estudo

Relatório da Berkeley Earth estima que cerca de 1,8 bilhão de pessoas conviveram média de temperatura anual recorde em 2021

Ano de 2020 foi um dos mais quentes da história, segundo a ONU
Ano de 2020 foi um dos mais quentes da história, segundo a ONU Foto: Carlos Monteiro/Enquadrar/Estadão Conteúdo

Ingrid Oliveirada CNN

São Paulo

Ouvir notícia

As questões climáticas e os questionamentos sobre como a humanidade está alterando a dinâmica do planeta acontecem em meio a mudanças nunca vistas antes.

Um relatório da Berkeley Earth, organização de pesquisa com sede na Califórnia, mostrou que 2021 foi nominalmente o sexto ano mais quente na Terra desde 1850.

Os pesquisadores estimam que cerca de 1,8 bilhão de pessoas tiveram uma média de temperatura anual recorde em 2021.

A pesquisa também mostrou que, embora não seja a temperatura do ano a nível recorde, cerca de 8,3% da superfície da Terra teve uma média anual recorde localmente quente em 2021.

Essas áreas estão localizadas em grandes centros populacionais.  Embora tenha sido apenas o sexto ano mais quente no geral, alguns territórios registraram médias anuais quentes em 2021, incluindo China, Coreia do Sul e Nigéria.

Os cientistas acreditam que um evento persistente de La Niña tenha reduzido as temperaturas um pouco em comparação com anos anteriores.

No geral, a tendência de longo prazo, diz a pesquisa, permanece consistente com um padrão contínuo de aquecimento global.

Temperatura média terrestre em 2021

2021 foi nominalmente o quinto ano mais quente observado e efetivamente empatado com 2015. Isso é significativamente mais frio do que em 2020, que foi o ano mais quente em terra.

A temperatura média terrestre foi de 1,70ºC — 0,04°C acima da temperatura média de 1850 a 1900.

O aquecimento global, causado pelos gases de efeito estufa, tem causado o aumento da temperatura no planeta, e é amplamente distribuído, afetando quase todas as áreas terrestres e oceânicas, de acordo com o relatório.

A pesquisa mostra que em 2021, 87% da superfície da Terra estava significativamente mais quente do que a temperatura média durante 1951-1980.

O ano foi atípico, Junho foi um mês extremamente quente para vários países do hemisfério norte. Foram pelo menos 486 mortes registradas na província canadense de Colúmbia Britânica e as temperaturas atingiram quase 50° C. Nos Estados Unidos, uma onda de calor entortou rodovias e derreteu linhas de energia.

Alguns países da Europa enfrentaram incêndios ambientais e alagamentos fora do normal para a região.

O ano de 2021 também apresentou um nível de aquecimento no Ártico, que excede a taxa média de aquecimento da Terra. Os pesquisadores escreveram que isso é um processo conhecido como amplificação do Ártico.

“Ao derreter o gelo marinho e diminuir a cobertura de neve, o aquecimento nas regiões árticas faz com que mais luz solar seja absorvida, o que permite ainda mais aquecimento”, escreveram.

 

 

 

Mais Recentes da CNN