Sistema estelar próximo hospeda dois planetas e 30 exocometas

Beta Pictoris está localizada a 63 anos-luz de distância de nós; estrela foi descoberta há 40 anos

Ilustração deste artista mostra exocometas orbitando a estrela Beta Pictoris.
Ilustração deste artista mostra exocometas orbitando a estrela Beta Pictoris. Calcada

Ashley Stricklandda CNN

Ouvir notícia

O sistema planetário Beta Pictoris, localizado a 63 anos-luz de distância de nós, fascina pesquisadores há décadas.

Agora, astrônomos encontraram 30 exocometas, ou cometas localizados fora do nosso Sistema Solar, orbitando a estrela Beta Pictoris, o que o torna ainda mais intrigante.

A estrela Beta Pictoris foi descoberta há quase 40 anos. Está rodeado por um disco de detritos feito de gás e poeira, que já deu à luz dois planetas jovens que orbitam a estrela.

A estrela oferece aos pesquisadores uma rara chance de observar um sistema planetário em processo de formação.

Enquanto nosso sistema solar tem 4,5 bilhões de anos, Beta Pictoris tem apenas 20 milhões de anos – o que é jovem, astronomicamente falando.

Cientistas foram capazes de detectar alguns cometas pastando pela estrela já em 1987, tornando-os os primeiros cometas já observados em torno de uma estrela além do nosso sol.

Uma equipe de pesquisa internacional observou o sistema Beta Pictoris por 156 dias por meio da missão Transiting Exoplanet Survey Satellite, ou TESS, da Nasa.

Além de descobrir 30 exocometas, os pesquisadores também foram capazes de determinar o tamanho dos núcleos cometários – a “bola de neve suja” gelada que compõe o coração de um cometa. Quando os cometas passam perto de uma estrela, o calor da estrela faz com que seu gelo sublima, criando caudas longas e fluidas que podem se estender atrás dos cometas.

Os núcleos dos exocometas variam entre três e 14 quilômetros de diâmetro, semelhantes aos cometas em nosso próprio Sistema Solar. Esta é a primeira vez que os astrônomos mediram a distribuição de tamanho de cometas em outro sistema planetário.

Um estudo detalhando a descoberta foi publicado nestas quinta-feira (28) na revista Scientific Reports.

Em Beta Pictoris, os cometas “pastoreiam a estrela quase todos os dias”, disse o principal autor do estudo, Alain Lecavelier des Etangs, pesquisador do CNRS no Instituto de Astrofísica Paris, em um comunicado.

Assim como os cometas que os astrônomos estudam em nosso Sistema Solar, os exocometas foram moldados por colisões com outros objetos.

“Isso mostra a importância das interações, colisões, troca de material entre planetas e pequenos corpos, como asteroides ou cometas no estágio inicial da vida de um sistema planetário”, disse Lecavelier des Etangs.

Parte da água na Terra provavelmente se originou de cometas e seu conteúdo de gelo, então os cientistas estão curiosos para saber como os cometas também podem ter impactado os exoplanetas.

“Não podemos garantir que os cometas observados possam fornecer material como água aos planetas que orbitam Beta Pictoris, mas nossas observações mostram que as colisões são muito comuns e, portanto, sugerem que os planetas temperados podem ser enriquecidos em material preso em gelos congelados capturados pelos cometas quando (os cometas) estão longe da estrela e depois colidem com os planetas”, disse ele.

Embora existam muitas semelhanças entre os exocometas de Beta Pictoris e os cometas do nosso Sistema Solar, exatamente quão semelhantes e diferentes eles são “continua a ser determinado”, disse Lecavelier des Etangs.

Os exocometas podem ajudar a esclarecer a origem e evolução dos cometas em geral, e futuras observações do sistema planetário usando o Hubble e o Telescópio Espacial James Webb podem revelar mais detalhes sobre eles.

“A questão da composição desses cometas permanece em aberto”, disse ele.

Os pesquisadores querem determinar qual substância sublima, ou se transforma de sólido em gás, à medida que os exocometas se aproximam da estrela Beta Pictoris. Pode ser gelo de água, monóxido de carbono ou algo completamente diferente.

O sistema tem a combinação única de três fatores que mantêm os astrônomos interessados: é jovem, próximo e os telescópios têm a perspectiva perfeita da Terra.

“A natureza nos forneceu um alvo tão incrível”, disse Lecavelier des Etangs. “Muitas questões permanecem em aberto. Tenho certeza de que Beta Pictoris nos manterá ocupados pelas próximas décadas!”

 

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN