Le Bulô: Itaim ganha excelente endereço para comer peixes e frutos do mar

Em uma casa com muita luz natural e decoração charmosa, a brasserie de insumos do mar é um presente do chef carioca Ricardo Lapeyre para São Paulo

Le Bulô chega ao Itaim com peixes, frutos do mar e receitas autorais com sotaque francês
Le Bulô chega ao Itaim com peixes, frutos do mar e receitas autorais com sotaque francês Duda Gulman

Tina Binido Viagem & Gastronomia São Paulo, SP

Um restaurante de peixes e frutos do mar comandado por um chef que teve como “escola” ninguém menos que Alain Ducasse, Frederic Doucet e Claude Lapeyre. Com esse pequeno descritivo nem precisamos dizer que as expectativas em cima de Ricardo Lapeyre são gigantes, mas, spoiler: ele supera!

Chef Ricardo Lapeyre
O jovem chef carioca Ricardo Lapeyre abre sua primeira casa em São Paulo / Duda Gulman

A novíssima casa do carioca Ricardo em terras paulistanas tem a proposta de trazer pratos com peixes e frutos do mar na brasa, mas ao mesmo tempo, sair do óbvio que tem dominado os menus da cidade. Suas belas criações autorais e cheias de técnicas e sabores que vêm da sua especialidade, a cozinha francesa.

Com apenas 36 anos, já morou em Bruxelas, Borgonha e Paris, comandou premiadas casas como o Laguiole e Escama, no Rio de Janeiro, e agora traz ao gastronômico bairro do Itaim o gostinho do mar com um quê de França.

O cardápio do Le Bulô

Diariamente o belíssimo balcão da casa é abastecido com ostras (R$ 10 cada) vindas de diferentes regiões do Brasil. É assim que recomendamos começar a refeição: ostras acompanhadas do suco de tomate perfeito feito na casa – que ganha um crocante de nori com chantilly de wasabi no topo (R$ 18).

Suco de tomate chega acompanhado de crocante de nota, tartar de atum e chantilly de wasabi / Duda Gulman

Depois, vale percorrer o cardápio que muda constantemente e escolher entre as cerca de 10 variedades vindas do mar – de polvos, lulas, camarões, vieiras, cavacas e lagostas a diferentes peixes (os que estiverem mais frescos no dia). Na opção “formule” do cardápio, o cliente compõe o prato com uma proteína feita na brasa e um acompanhamento, sendo que o valor pago é apenas da proteína. Assim, um almoço rápido pode ser formado, por exemplo, por um belo robalo (R$ 140) com tarte tatin de tomates, por vieiras (R$ 195) e risoni de pistache, lagostim (R$ 170) com arroz de tomate e polvo (R$ 170) com purê de banana.

Pratos principais Le Bulô
Na opção “formule” do cardápio, o cliente compõe o prato com uma proteína feita na brasa e um acompanhamento / Tina Bini

Para quem tiver mais tempo e estiver acompanhado, vale compartilhar no meio da mesa o clássico plateau de frutos do mar, que traz de cinco a seis itens variados e com o toque autoral do chef, como o ceviche de peixe do dia no coco, tartare de atum com chantilly de wasabi, tartare de ostra com vieira e ponzu, remoulade de caranguejo aratu com palmito, maionese de cavaca e vinagrete de mexilhão (R$ 220 para 2 pessoas ou R$ 420 para 4 pessoas).

Plateau de mer do Le Bulô
Plateau de mer traz de cinco a seis itens variados com o toque autoral do chef / Duda Gulman

Criações clássicas de Ricardo, como o strudel de pirarucu (R$ 180 para 2 pessoas), o arroz de bacalhau “Laguiole” (R$ 94), o carpaccio de vieiras com salicórnia e pipoca de quinoa (R$ 98), e o gyoza de bacalhau ao molho de capim limão (R$ 62) completam o menu que conta com clássicos franceses, como o cassoulet do mar e alguns pratos de carne e vegetarianos, mostrando que por lá todo tipo de público tem seu espaço.

Para se sentir ainda mais em algum bistrô da França, peça a cremosa e suave mousse au chocolat (R$ 42) que é servida diretamente da travessa ou a pain perdu (R$ 42) para encerrar a refeição.

Santé! 

Assinada por Gabriela Monteleone, a carta de vinhos privilegia brancos e laranjas de todo o mundo, com olhar especial para os produtores brasileiros. “Estamos fazendo campanha em prol do vinho branco”, pontua o chef, que diariamente conta com seis opções em taça, sendo dois vindos de torneiras do projeto Tão Longe, Tão Perto.

Do bar saem criações com inspiração franco-brasileira assinada pela premiada bartender Jessica Sanchez (ex-gerente do bar do Copacabana Palace, eleita Melhor Bartender da América Latina pela revista Forbes) em parceria com Jonny Paes (ex-Maguje e Nosso), ambos “importados” do Rio. Entre as opções, vale provar a releitura de martini da casa (R$ 48) feito com gin, lillet, vermute seco, azeitonas curadas em caldo de mariscos e óleo de menta.

Carpaccio de vieira
Carpaccio de vieira / Duda Gulman

Le Bulô: R. Manuel Guedes, 233 – Itaim Bibi, São Paulo – SP / WhatsApp.: (11) 95300-3435 / Funcionamento: terça a sábado, das 12h às 16h e das 19h às 23h, e domingo, das 12h às 17h. Não abre às segundas-feiras.