Empresa vai oferecer refeições acima da estratosfera por R$ 640 mil a partir de 2024

Empreendimento de turismo espacial está atualmente vendendo “bilhetes pré-reserva” para as próximas viagens em uma cápsula pressurizada acoplada a um balão estratosférico

Empresa de turismo espacial levará viajantes para refeição na estratorsfera
Empresa de turismo espacial levará viajantes para refeição na estratorsfera Zephalto/Divulgação

Da CNN São Paulo

Comer uma refeição digna de uma estrela Michelin no “limite do espaço” pode ser uma realidade no próximo ano, se a empresa francesa Zephalto conseguir o que quer.

O empreendimento de turismo espacial, fundado pelo ex-controlador de tráfego aéreo Vincent Farret d’Astiès, está atualmente vendendo “bilhetes pré-reserva” para as próximas viagens em uma cápsula pressurizada, apelidada de Celeste, acoplada a um balão estratosférico.

Esta cápsula ascenderá a uma altitude de 25 quilômetros, permitindo que os visitantes se maravilhem com a curvatura da Terra. Entre olhares boquiabertos, os viajantes vão beber e jantar em grande estilo.

Os ingressos com pré-reserva custam 10 mil euros (R$ 53, 3 mil)) e dão aos compradores a chance de reservar um assento sempre que os ingressos forem colocados à venda. Ao todo, uma viagem no Celeste custará 120 mil euros (aproximadamente R$ 640 mil ).

Zephalto disse à CNN que os assentos a bordo dos primeiros voos do final de 2024 a meados de 2025 já foram adquiridos e agora estão sendo vendidos slots de pré-reserva para meados de 2025 em diante.

O Celeste promete levar seis passageiros e dois pilotos à altitude máxima em apenas 90 minutos, a uma velocidade de quatro metros por segundo. A cápsula flutuará sobre a Terra por três horas – tempo suficiente para desfrutar de uma refeição com vários pratos e várias taças de um bom vinho francês.

Farret d’Astiès disse à CNN que, embora as opções de comida e bebida da Celeste sejam luxuosas, “a vista e a jornada geral continuam sendo o foco central da oferta, permitindo que os hóspedes apreciem e absorvam a beleza de seus arredores”.

Jantar em altitude

Desde que Dennis Tito, o primeiro “turista espacial” chegou aos céus em 2001 , poucos seguiram seus passos. Mas, nos últimos anos, empresas de turismo espacial de alto nível, como SpaceX, Blue Origin e Virgin Galactic, têm feito movimentos nessa área , prometendo tornar o espaço o próximo local de férias obrigatório.

A Zephalto, fundada em 2016, não é a única empresa que espera transportar passageiros em um sofisticado balão de ar quente. A empresa da Flórida, Space Perspective, está aceitando reservas para sua nave espacial Neptune.

Vale lembrar que há uma grande diferença entre uma viagem ao espaço orbital – envolvendo decolagens em alta velocidade e duração mais longa – e o espaço suborbital, no qual os viajantes são brevemente expostos à ausência de peso e vistas do espaço durante um voo para a borda do atmosfera, 96 km acima da Terra.

E as viagens à “borda do espaço” – como as propostas por Zephalto e Space Perspective – são novamente diferentes.

Essas cápsulas não atingem o espaço suborbital, mas ainda voam significativamente mais alto do que um avião comercial médio. Isso significa grandes vistas da Terra e das estrelas, mas sem a perda de gravidade e a sensação de ausência de peso.

Farret d’Astiès compara a atmosfera dentro da Celeste com a mesma de viajar de avião, apenas com vistas mais incríveis e vibrações luxuosas. O interior da cápsula pressurizada está sendo planejado pelo designer francês Joseph Dirand. Os designs ainda não foram lançados, mas Zephalto promete que exalarão o “savoir-faire francês”.

“Refinado e elevado”

Embora os futuros chefs de Celeste ainda não tenham sido anunciados, a ideia é que haverá uma porta rotativa de mestres culinários que terão liberdade para escolher o que está no menu. Zephalto está empenhado em que “os chefs possam exercer sua licença criativa e garantir a capacidade de personalizar a experiência do hóspede para oferecer algo refinado e elevado” – então alguns chefs podem decidir que o jantar deve acontecer antes, e não durante, a viagem.

Zephalto diz que também tem trabalhado em estreita colaboração com a agência espacial francesa, CNES, no projeto e conta com a empresa de aviação Airbus como um de seus parceiros. A empresa diz que o balão, movido a hélio, deverá ter as mesmas certificações da Agência Europeia de Segurança da Aviação de uma aeronave comercial.

A Zephalto diz que completou três voos de teste parcial pilotados, com outro programado para o final deste ano, que deve passar por uma jornada completa. Os voos serão abertos a pessoas de todas as idades e não é necessário treinamento prévio.

Por enquanto, Celeste deve decolar da França, mas Zephalto espera se tornar global em breve.