O que fazer em Jericoacoara: destino tem dunas, lagoas e passeios sem pressa

Programas imperdíveis na região a 300 km de Fortaleza vão de praias, passeios de buggy e até kitesurf; confira 5 sugestões do que fazer

Daniela Filomeno nas Dunas de Tatajuba, nas redondezas da Vila de Jericoacoara
Daniela Filomeno nas Dunas de Tatajuba, nas redondezas da Vila de Jericoacoara CNN Viagem & Gastronomia

Daniela Filomenodo Viagem & Gastronomia Jericoacoara, Ceará

Pense em um vilarejo de pescadores dividido por dunas e pelo mar onde encontramos vilas charmosas, gastronomia com ingredientes fresquíssimos e casas e hotéis que são, por si só, um destino. Alie tudo isso a sombra, água fresca, passeios com doses de adrenalina e temos à nossa frente Jericoacoara.

Reduto para os praticantes de kitesurf e windsurf por conta dos bons ventos que sopram por aqui, a praia de Jericoacoara vai além de fotos instagramáveis nas inconfundíveis redes e nos presenteia com programas imperdíveis em dunas, águas deliciosas e, o melhor de tudo, uma estadia sem pressa.

Há algumas décadas, Jeri, para os mais íntimos, não tinha energia elétrica nem estrutura básica. Em tempos recentes, porém, esta joia cearense encravada a cerca de 300 km de Fortaleza passou de local pacato para um dos destinos mais visados e comentados do turismo nacional.

Com cenários irretocáveis, digo que a região é daqueles lugares para esquecermos a agenda cheia e deixar de lado a euforia de conhecer o maior número de atrações possível, uma vez que os atrativos também demandam tempo para serem alcançados e percorridos.

Na verdade, é um convite para o caminho contrário: é destino para ser contemplado, com pores do sol inspiradores.

E já adianto: esta fascinante região do Ceará é um dos destinos da sexta temporada do CNN Viagem & Gastronomia, em que você pode acompanhar nas telinhas novas descobertas e experiências personalizadas que podem te inspirar em uma próxima viagem ao Nordeste.

Onde fica Jericoacoara

Quando falamos em Jericoacoara estamos nos referindo mais especificamente à Vila de Jericoacoara, que pertence ao município cearense de Jijoca de Jericoacoara.

Porém, muitos se referem a Jericoacoara como uma região maior ao falarem do Parque Nacional de Jericoacoara, que abarca as cidades vizinhas de Cruz e Camocim, que podem servir também como bases para outras experiências.

Para o CNN Viagem & Gastronomia, escolhi duas bases: a Praia do Preá, que pertence ao município de Cruz, e a própria Vila de Jericoacoara. Ambas as localidades ficam separadas por apenas cerca de 12 km, distância que pode ser percorrida com a ajuda de quadriciclos – o que adiciona pitadas de adrenalina e nos garante cenários incríveis.

Tanto a Praia do Preá quanto a vila oferecem casas e hotéis que fazem as vezes de destino, já que reúnem de forma única o melhor da região, como praia, gastronomia e sossego. É o caso do Casana Hotel, no Preá, e da Villa Oasis, no coração da Vila de Jeri, duas propriedades que valem a pena o investimento na hospedagem e que conto mais detalhadamente em outras colunas.

E como chegamos até a Vila de Jericoacoara? A partir de Fortaleza é necessário pegar um transfer ou carro por mais de quatro horas até Jijoca e, de lá, o trajeto até a vila requer veículos 4×4. Há também a possibilidade de chegarmos à vila a partir de Fortaleza passando pela Praia do Preá, em que os últimos 12 km são feitos na areia e o percurso deve ser feito em veículos credenciados.

Também há como chegar de avião: o Aeroporto regional de Jericoacoara, que fica no município de Cruz, a apenas 15 km do Preá e a cerca de 33 km da vila de Jericoacoara, tem voos de São Paulo oferecidos pelas principais companhias aéreas nacionais.

Lembro também que é necessário pagar uma taxa de turismo para entrar na vila: a taxa no valor de R$ 41,50 é cobrada por visitante para uma estadia de até dez dias, que pode ser paga pela internet ou ainda no posto de atendimento na entrada da vila que funciona 24h.

Programas imperdíveis em Jericoacoara

Jeri tem temperaturas altas o ano inteiro. A época de chuvas se concentra entre os meses de fevereiro e maio. Durante o verão tudo fica ainda mais quente e nos deparamos com o combo de sol, calor e vento.

Os ventos, inclusive, são alísios, que não encontram barreiras desde a África, e são constantes aqui de julho a dezembro. Portanto, a localização geográfica da região é uma das partes do Brasil que primeiro recebe estes deslocamentos de ar, o que faz o local ideal para práticas de kitesurf.

Fora isso, os ventos também moldam as dunas e a movimentação das areias para além das praias, criando cenários esculpidos pela natureza. Vale dizer que, em vários passeios, buggies e veículos UTV são nossos melhores amigos para descobrir as maravilhas naturais da região, já que eles são os tipos de transporte que podem transitar pelas areias locais.

Confira a seguir 5 atividades imperdíveis em Jericoacoara: 

Parque Nacional de Jericoacoara

Pedra Furada é uma das atrações mais buscadas de Jeri / Thiago Souza

Para quem já veio ou ainda vem para Jeri, o Parque Nacional de Jericoacoara é nome presente nas pesquisas e conversas. É daqueles lugares “tem que ir”, onde encontramos dunas, lagoa, praia e nos deparamos com um pôr do sol magnífico.

O parque rodeia a vila e tem área total de cerca de 8.850 hectares, onde, além de alguns cartões-postais, tem como missão proteger espécies ameaçadas, a exemplo da tartaruga-cabeçuda, a tartaruga-pente e a onça-parda.

Uma das atrações mais conhecidas do parque é a Pedra Furada, formação rochosa esculpida pelas águas da Praia das Conchas ao longo dos anos que nos presenteia com grandes fendas e um enorme “buraco” no meio.

No campo de dunas, a Duna do Pôr do Sol diz a que veio: é ideal para vermos o espetáculo da natureza ao entardecer. Dezenas de viajantes saem da vila até a duna para conferir o pôr do sol diariamente.

Passeio ecológico nos manguezais e lagoas temporárias também podem ser curtidos por aqui, assim como podemos aproveitar as praias, que, apesar de não oferecerem estruturas, são procuradas por serem isoladas e para a prática de esportes aquáticos.

Lagoa do Paraíso

Tonalidades verdes e azuis fazem parte da lagoa, também conhecida por Lagoa de Jijoca / Wikimedia Commons

A aproximadamente 30 minutos da Vila, somos surpreendidos por uma lagoa de águas tranquilas com tons que vão do verde ao azul claro e formam um bonito cenário com a areia clara. A Lagoa de Jijoca, também conhecida como Lagoa do Paraíso, é daqueles locais em Jeri que possui redes dentro da água que tanto vemos nas redes sociais.

Mas, sem dúvidas, é um dos locais que estão no topo da lista do que fazer na região. É para nos energizarmos com o sol e tomarmos banhos de águas deliciosas para, então, ficarmos como exatamente a rima diz: “de boa na lagoa”.

O mais comum é chegar aqui com ajuda de buggies ou veículos 4×4. Restaurantes à beira das areias disponibilizam cadeiras, guarda-sóis e garantem uma estrutura, como a Casa B&B, que tem restaurante e funciona como pousada.

Após curtirmos o sol e a lagoa pela manhã, é um bom lugar para emendar um almoço, em que podemos experimentar uma cerveja local e comermos pratos que vão de vieira com manga servida na concha até cataplana com frutos do mar puxados no vinho branco e azeite.

Dunas da Tatajuba

Pertencentes a Camocim, a cerca de uma hora da vila, as Dunas da Tatajuba carregam mais uma vez a essência da região: belos montes de areia trazidos pelos ventos da praia e até lagoa de águas quentinhas.

Os ventos trazem a areia, em que os grãos mais grossos caem na beira da praia e os mais finos voam mais longe e formam estas dunas, que, pouco a pouco, também vão invadindo a floresta.

Aqui, com ajuda de UTVs (veículos reforçados de dois lugares semelhantes a um buggy), podemos adicionar pitadas de aventura: em cima deles podemos percorrer cenários incríveis e até nos desafiar em descidas que não são simples, as quais podem nos dar a sensação de inclinação de 90º.

Para o programa, além das Dunas de Tatajuba, cruzei também o mangue de Camocim, as praias do Preá e de Jeri e até balsa de Guriú para atravessar um braço de mar em cima do UTV da Force Adventure Tour, que oferece roteiros e experiências personalizadas pela região.

Toda a experiência foi coroada no final com o que Marcelo Oliveira, o nome por trás da Force Adventure, chama de Oásis Gastronômico: à beira da lagoa, uma estrutura inflável com mesa e cadeiras dá lugar para um almoço preparado por dois chefs à beira de uma lagoa. É para ficar na memória.

Kitesurf no Preá

Daniela Filomeno faz aula de kite nas areais do Preá / CNN Viagem & Gastronomia

Uma das praias mais recomendadas para a prática de esportes aquáticos é o Preá, em que é comum avistar pipas colorindo o céu e as pranchas nas águas do mar junto de aventureiros de kitesurf.

Há várias escolas na região e também instrutores que podem nos auxiliar na iniciação ao esporte, como fiz em minha viagem à região. Foi uma experiência nova que me tirou da zona de conforto e me fez enxergar que é um esporte de técnica, e não de força.

Jogar o peso do corpo para trás, colocar o abdômen para dentro como uma concha e segurar o kite à frente são algumas das dicas básicas para começar a prática. Confesso que para subir na prancha e deslizar pelo mar levariam outras tantas aulas e dias, mas já deu para ter um gostinho da delícia que é se aventurar pelas águas com ajuda dos ventos.

Vila de Jeri

Para além das dunas, das lagoas, dos esportes e da natureza irretocável da região, não poderia deixar de dar um breve panorama sobre a vila de Jeri, já que ela é um núcleo de hotéis, casas para curta temporada, restaurantes e certo agito.

Esqueça o asfalto por aqui: as ruas são de areia. Logo, chinelos e roupas leves são nossos melhores amigos.

O bacana é que tudo fica pertinho um do outro, com lojinhas, restaurantes de gastronomia deliciosa – pense em peixes e frutos do mar fresquíssimos -, beach clubs, pousadas e até hostels compondo uma bem-vinda diversidade.

Vale lembrar que carros não entram na vila e, após os passeios pelas redondezas, é local ideal para um drinque, um jantar sem pressa, curtir uma música ao vivo e descansar nas charmosas acomodações.