Ponto Gin une gastronomia autoral e alta coquetelaria na capital paranaense

Após anos trabalhando somente com coquetelaria, nova unidade da Taunay traz cozinha refinada e rapidamente conquista um novo público

Caroline Grimmcolaboração para o Viagem & Gastronomia Curitiba, Paraná

Poucos lugares em Curitiba conseguem unir um ambiente convidativo e aconchegante, ótima gastronomia e drinques de altíssima qualidade, e o Ponto Gin da Taunay consegue suprir toda essa lista.

O gastrobar, inaugurado em maio deste ano, tem iluminação indireta, sem luz branca, sem os famigerados spots em cima das mesas. A beleza das pessoas é valorizada, e não o contrário. É um ambiente em que se tem vontade de permanecer por horas, perfeito para um date, ou para se reunir com um grupo de amigos amantes da alta cozinha e da coquetelaria autoral.

A chef Júlia Schwabe, de 31 anos, está à frente da cozinha, que é descomplicada e leve, harmonizando perfeitamente com os drinques criados pelo bartender Gabriel Bueno, de 27 anos. Os pratos são para compartilhar, o que é ótimo para conhecer mais criações e enriquecer a experiência.

Júlia, que vem de uma família que sempre se reuniu em torno da cozinha, decidiu largar a sua formação original, arquitetura e urbanismo, para seguir a sua paixão pela gastronomia, e foi estudar na renomada Le Cordon Bleu, em Melbourne, na Austrália, em 2017.

Passou por diversas cozinhas no país, dentre elas um dos melhores restaurantes da Austrália, o Cutler & Co. Após se formar com distinção, retornou ao Brasil em 2019 e ingressou no Bobardi, na época chefiado por Danilo Takigawa. Trabalhou com o chef Lênin Palhano no Nomade, e posteriormente co-chefiou o Obst com Lênin, o que lhe rendeu o prêmio “Para Ficar de Olho” do Bom Gourmet, prêmio este conquistado novamente este ano, já na chefia da cozinha do Ponto Gin.

Da sua vivência na Austrália, Júlia carrega a predileção por trabalhar com peixes e frutos do mar, o que é evidenciado nos pratos Vieira curada e grelhada, água de tomate, tomates desidratados, vinagrete de pepino e melão (R$ 145), na Ostra, vinagrete de caju, leite de coco (R$ 71 por 4 unidades), no Polvo temperado com glacê de polvo, salsa verde, aioli picante e picles de cebola roxa na focaccia feita na casa (R$ 67) e no Siri com pimenta cambuci, doce de laranja e aioli de coentro sobre acelga infusionada no licor de laranja (R$ 57). Pratos com combinações inusitadas, porém certeiras, com toda a delicadeza e leveza que marcam o estilo de cozinha de Júlia.

O Ponto Gin é um prato cheio para os vegetarianos, que costumam ser carentes de restaurantes com boas opções. Os pratos vegetarianos/veganos não foram pensados somente para não conterem proteína de origem animal, mas para valorizar ao máximo o ingrediente e extrair todo o sabor e criar texturas. O resultado? Pratos ricos, lindamente apresentados, deliciosos, em que nem os carnívoros percebem a ausência da proteína de origem animal.

Vale provar o snack Tartare de cenoura temperada com missô e beldroega sobre crocante de sementes (R$ 51), o obrigatório (inclusive para não-vegetarianos) Cavatelli, vegetais orgânicos, farofa de pão (R$ 65), a Abóbora Cabotiá em 3 versões (assada, picles e purê), stracciatella e sálvia (R$ 74) e o surpreendente Mini arroz negro Piagui com pinhão, muhammara de pimentão, bokchoy grelhado, farofa de castanha de baru (R$ 90).

E, para quem não abre mão da carne, o Cupim Sando (R$ 70), uma releitura do sanduíche clássico japonês Katsu Sando, que leva pão de Leite, cupim, picles, molho de gouda e togarashi, é uma ótima pedida. Outras opções são a Carne Cruda (R$ 80) e o Tempurá de folha de mostarda com pernil desfiado, aioli picante e doce de pimenta (R$ 73).

Não dispensa um docinho no final da refeição? Eu costumo dispensar, mas a Mousse de chocolate 70% com creme de camomila e crocante de avelã (R$ 30) é absolutamente imperdível.

Polvo com salsa verde, aioli picante e picles de cebola roxa na focaccia feita na casa
Polvo com salsa verde, aioli picante e picles de cebola roxa na focaccia feita na casa / Caroline Grimm

Do bar não podemos esperar nada menos do que drinques extremamente equilibrados e complexos, características da coquetelaria do Gabriel Bueno, que trabalha na área desde 2015. Gabriel já foi semifinalista do World Class Brasil em 2020/21 e finalista em 2022. Neste período passou pelo Officina, Nuu Nikkei, Hai Yo e Astrolab, até assumir o Ponto Gin.

A ideia do Ponto Gin é trazer coquetéis que utilizem ao máximo o frescor dos ingredientes com diferentes técnicas para extração de seus sabores, unindo complexidade à leveza e suavidade. No cardápio atual há uma seleção de 13 coquetéis, em que 6 ingredientes são utilizados como base de sabor: Pimenta Cambuci; Eucalipto; Macela do Campo; Caju; Café; e Maçã. Segundo Gabriel, a ideia é trazer diferentes formas de se trabalhar com os mesmos insumos, alterando as técnicas e percepções de sabor, formando assim um cardápio amplo em relação aos perfis sensoriais, com coquetéis para todos os gostos.

O famoso Cardinali Twist Ponto Gin - Curitiba
O famoso Cardinali Twist / Munir Bucair

Para quem gosta de coquetéis mais amargos, com um toque de umami, o já famoso Cardinali Twist (R$ 45), que leva Gin Tanqueray, infusão de salsão, Campari, vinho Chardonnay fortificado com maçã verde e salmoura de azeitona. Para um perfil mais doce, com um toque de refrescância, o Cuban Coffee (R$ 45), que leva Rum 8 anos, cold brew e cordial de toranja. Um dos drinques com caju é 5th Avenue (R$ 55), que leva Johnnie Walker Black Label, Single Malt Talisker, cordial de caju e Vermouth Dry.

Para os dias mais quentes, o La Poire (R$ 38) é perfeito, muito leve e frutado. Leva Brandy Jerez, Infusão de Marcela, Cordial de Pera, Bitter de Laranja e Club Soda.

House martini do Ponto Gin
House martini leva Gin Tanqueray Ten, infusão de maçã verde, Jerez Fino, perfume de Marcela e azeitona / Caroline Grimm

Mas, independente de qual seja o seu estilo de drinque favorito, a dica é provar o House Martini (R$ 55), que nesta versão leva Gin Tanqueray Ten, infusão de maçã verde, Jerez Fino, perfume de Marcela e azeitona. Tenho uma obsessão por Dry Martini, e o Gabriel o prepara como ninguém.

Ponto Gin: Alameda Pres. Taunay, 543 – Batel, Curitiba – PR / Tel.: (41) 98437-0202 / Funcionamento: segunda a sábado, das 19h às 23h. Não abre aos domingos. 

*Os textos publicados pelos Insiders e Colunistas não refletem, necessariamente, a opinião do CNN Viagem & Gastronomia.

Sobre Caroline Grimm

A criadora de conteúdo gastronômico Caroline Grimm / Caroline Grimm

Curitibana, médica de formação e gastrônoma de coração, Caroline Grimm também é criadora de conteúdo e acumula milhares de seguidores nas redes sociais. Como ela mesma descreve, vive para cozinhar, comer, beber e viajar – não necessariamente nesta ordem, mas sempre em busca das melhores experiências.