Por que esta foto do maior navio de cruzeiro do mundo está dividindo opiniões

Com capacidade para 10 mil pessoas, o navio tem 365 metros de comprimento, 48,4 metros de largura e 20 decks totais, mas imagens ilustrativas levantaram críticas e confusão nos internautas

Jacopo Priscoda CNN

O maior navio de cruzeiro do mundo ainda não recebeu um único passageiro a bordo, mas já incendiou a internet.

O Icon of the Seas – que recentemente completou seu primeiro conjunto de testes no mar em preparação para sua viagem inaugural em janeiro de 2024 – tem credenciais incríveis: 365 metros de comprimento (96 metros a mais que o Titanic), 48,4 metros de largura, 20 decks totais e um capacidade máxima de quase 10 mil pessoas, incluindo passageiros e tripulantes.

Mas quando uma imagem de sua seção de popa se tornou viral em julho, ela polarizou as opiniões, provocando reações apaixonadas de todos os lados. A impressão do artista retratou o navio totalmente carregado em cores vibrantes, enfatizando seu enorme parque aquático – com toboáguas recordes – e transmitindo o tamanho e a densidade extraordinários do navio.

Nem todos interpretaram isso como uma visão deliciosa de diversão e relaxamento no mar. Ganhou fama de “monstruosidade”, uma “pilha de decadência”, e um usuário sugeriu que um nome melhor seria “Ícone da Doença”.

O navio foi chamado de “intricadamente cafona e vulgar” e comparado a “estar preso em um Walmart flutuante” ou “uma pilha mal equilibrada de pratos cheios de comida; caótico, bagunçado, possivelmente precário”.

Muitos o justapuseram a visões do inferno, com um comentarista sugerindo um paralelo com Hieronymus Bosch, um artista renascentista holandês conhecido por suas intrincadas paisagens infernais.

Outro deu uma referência cultural mais contemporânea, dizendo que o navio se parece com a versão Candy Crush do mundo subterrâneo distópico em “Silo”, um programa de TV no qual a humanidade sobrevive ao apocalipse recuando para uma cidade subterrânea, com centenas de níveis de profundidade.

Mas o que há na imagem que provoca emoções tão fortes?

O navio abrigará o maior parque aquático do mundo no mar / Royal Caribbean International

Um truque de perspectiva?

“Também achei a renderização estranhamente incomum”, disse Tom Davis, professor de psicologia da Universidade do Alabama, à CNN. “Depois de olhar um pouco mais de perto, acho que considero a natureza inquietante uma combinação interessante da perspectiva artística escolhida e o treinamento de distanciamento social/espaço pessoal pós-pandemia que foi inculcado em todos nós”.

Davis diz que o fato de ser uma renderização, não uma fotografia real, desempenha um papel crucial.

“Quase dá a impressão de um navio curto, alto demais e empilhado que está em mar agitado, mas na realidade isso pode ser um truque de perspectiva, já que o navio real é aparentemente três a quatro vezes mais longo do que a ideia que tenho olhando para a renderização. As imagens que vi que são mais de perfil adicionam uma sensação mais razoável, eu acho, da altura no contexto do comprimento total”.

Ele acrescenta que a reação pode depender de muitas variáveis, incluindo ansiedades e fobias pessoais, bem como experiências pessoais com resorts e cruzeiros. “Para alguns, uma embarcação deste tamanho com tanta coisa provavelmente representa muita diversão com atividades contínuas e liberdade do tédio. Para outros, eles podem nunca ter feito um cruzeiro e acham que isso é demais para absorver tudo de uma vez”, diz ele.

Segundo especialista, as cores escolhidas para Icon of the Seas lembram cores de doces e podem dar sensação de insegurança / Royal Caribbean International

“A escolha dependerá das próprias experiências e composição pessoal – o medo de situações sociais, o mar aberto, os espaços pequenos são um problema? Em seguida, esta imagem desencadeará memórias de tudo, desde notícias de vírus a filmes como ‘Tubarão’, ‘Aventura de Poseidon’ e ‘Titanic’”.

“Para outros, suas experiências com cruzeiros e as inúmeras viagens bem-sucedidas fornecem informações corretivas que os levam a ver a situação de maneira diferente”.

Segundo Adam Cox, psicólogo e especialista em fobias, a descrição comum do Icon of the Seas como “cinco vezes maior” que o Titanic pode sugerir a ideia de um desastre potencialmente maior: “Ainda mais depois da recente tragédia com o submarino no Titanic”, diz. “Isso provoca um desejo protetor de evitar uma tragédia semelhante”.

Os níveis no navio também criam uma sensação de claustrofobia em algumas pessoas, continua ele, pois elas perceberão o navio como um lugar onde milhares estão presos, em vez de desfrutar de um cruzeiro de férias. “E para outros, as cores de doces fazem o navio parecer um brinquedo, criando questões de segurança que não existiriam se o navio tivesse cores mais neutras”, acrescenta.

Uma renderização mostra como ficará o navio Icon of the Seas quando estiver pronto / Royal Caribbean International/Divulgação

Gerador de dinheiro

Jonathan Abramowitz, um psicólogo da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill, acha que a imagem parece bastante atormentada e confusa: “Talvez seja a ideia de tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo e o fato de que tudo está acontecendo no mar, com nenhum lugar para ir se houvesse algum tipo de emergência”.

Mas Ross Klein, sociólogo da Memorial University of Newfoundland e especialista em cruzeiros, diz que o design do navio é uma progressão natural para a Royal Caribbean, a linha de cruzeiros com sede em Miami que possui o navio. “É um pouco cômico, algo com um tom místico. Mas é uma extensão de onde eles estiveram nos últimos 25 anos com o design de seus navios”.

Ele acredita que as reações se baseiam principalmente em experiências anteriores com cruzeiros. “Acho que os entusiastas da Royal Caribbean vão olhar para isso e dizer ‘Uau, algo novo! Isso é muito emocionante, mal posso esperar para sair e ver o que está acontecendo lá!’”, diz ele.

A imagem atual é bastante colorida e retrata um navio com muitas opções. As respostas positivas superam em muito as outras

Stewart Chiron, especialista em cruzeiros

“Mas as pessoas que não fazem cruzeiros, ou pessoas que talvez gostem de um estilo diferente de cruzeiro, como navios menores, navios ultraluxuosos ou algo intermediário, verão isso apenas como uma monstruosidade e dirão: ‘Por que você faria isso?’”.

Existem 28 tipos diferentes de acomodação a bordo do Icon of the Seas / Royal Caribbean International

O especialista em cruzeiros Stewart Chiron concorda. “As imagens dos navios da Royal Caribbean muitas vezes provocam respostas fortes”, disse ele à CNN. “As respostas negativas ao Icon of the Sea são evidentemente de não viajantes de cruzeiros. A imagem atual é bastante colorida e retrata um navio com muitas opções. As respostas positivas superam em muito as outras”.

Um porta-voz da Royal Caribbean, quando contactado pela CNN, não comentou o feedback a esta imagem específica, mas disse que desde que o Icon of the Seas foi revelado em outubro de 2022 houve uma “reação incrível”, que levou ao maior volume de reservas de semana na história da empresa quando as vendas começaram.

Com algumas viagens já esgotadas – e preços a partir de cerca de US$ 2 mil por pessoa para um cruzeiro de sete dias – o navio provavelmente se tornará um gerador de dinheiro, de acordo com Ross Klein. “A Royal Caribbean é notável por exceder 100% da capacidade de seus navios. E parte disso é que eles dão às pessoas algo para querer embarcar e gastar muito dinheiro quando estão lá”, diz ele.

“Esse navio vai arrecadar US$ 10 milhões ( R$ 49 milhões, na cotação atual) por semana”.


Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original