Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Jussara Soares

    Jussara Soares

    Em Brasília desde 2018, está sempre de olho nos bastidores do poder. Em seus 20 anos de estrada, passou por O Globo, Estadão, Época, Veja SP e UOL

    Estilo de Lewandowski inaugura nova relação com bancada da bala

    Parlamentares não prometem concordância em pautas, mas admitem que ministro abriu diálogo antes inviabilizado

    Estilo de Lewandowski inaugura nova relação com bancada da bala
    Estilo de Lewandowski inaugura nova relação com bancada da bala

    A participação do ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, na Comissão de Segurança Pública da Câmara na terça-feira (17) pode inaugurar uma nova relação do governo com a bancada da bala. Após quatro horas de esclarecimentos, Lewandowski saiu da comissão elogiado por deputados da oposição.

    Parlamentares não prometem uma convergência de pautas, mas admitem que o ministro abriu um diálogo que havia sido inviabilizado com seu antecessor, Flávio Dino, hoje ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

    Integrantes da chamada bancada da bala, no entanto, afirmaram à CNN que vão trabalhar para derrubar o veto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao projeto de lei que proíbe a saída temporária de presos, apesar do apelo do ministro.

    Lula vetou o trecho que impedia que detentos do semiaberto fossem proibidos de visitar a família. Lewandowski disse que a reunião familiar é um “valor cristão” e um “valor fundamental da Constituição.”

    “O ministro Lewandowski é diferenciado. Foi muito tranquilo, ao contrário do ex-ministro. Da mesma forma, os parlamentares foram educados apesar das posições contrárias. Ficou claro que vai dar para ter uma relação positiva com o Ministério da Justiça e Segurança Pública”, disse o presidente da comissão, deputado Alberto Fraga (PL-DF).

    Sobre o PL da Saidinha, Fraga disse que o veto de Lula quebra a espinha dorsal do projeto aprovado no Congresso. “O ministro apelou, mas não nos convenceu. Vamos seguir trabalhando para derrubar o veto do presidente.”

    De perfil mais combativo, Dino protagonizou momentos tensos com deputados. Em abril de 2023, uma audiência da Comissão de Segurança Pública teve de ser suspensa por conta da desordem generalizada e das brigas entre os parlamentares.

    Convocado outras vezes pelo colegiado, o então ministro da Justiça faltou a pelo menos três convocações do colegiado alegando “risco à integridade física e moral”.

    Por sua vez, Lewandowski seguiu o estilo mais cerimonioso, o que garantiu um clima ameno. Apesar de pressionado por deputados, o ministro respondeu com tranquilidade sobre temas espinhosos como a fuga de dois detentos do presídio federal de Mossoró (RN).

    “Diferença da água para o vinho. Dino não tinha o menor respeito com os parlamentares, descumpridor de convocações inclusive. Já o ministro Lewandowski atendeu prontamente nosso convite”, resumiu o deputado Sanderson (PL-RS), que presidia o colegiado durante a participação de Dino.