Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Pedro Venceslau

    Pedro Venceslau

    Pós-graduado em política e relações internacionais, foi colunista de política do jornal Brasil Econômico, repórter de política do Estadão e comentarista da Rádio Eldorado

    Leite evita embate com governo, mas deu aval para críticas do PSDB, dizem fontes

    Inclusão da palavra “apoio” no nome oficial da pasta atenuou críticas; nome escolhido foi Secretária Extraordinária da Presidência da República para Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul;

    Leite evita embate com governo, mas deu aval para críticas do PSDB, dizem fontes
    Leite evita embate com governo, mas deu aval para críticas do PSDB, dizem fontes

    Adversário político do presidente Lula, o governador Eduardo Leite (PSDB) não foi consultado ou mesmo comunicado previamente sobre a criação do ministério extraordinário para administrar os recursos federais na tragédia das chuvas do Rio Grande do Sul, apurou a CNN.

    Apesar disso, Leite preferiu não entrar em rota de colisão com o governo federal.

    O tucano, no entanto, deu aval para as críticas do PSDB, segundo fontes ouvidas pela CNN.

    Em nota, o ex-governador Marconi Perillo, presidente nacional do PSDB, disse que a criação de um ministério para o Rio Grande do Sul causa “espanto e estranheza” pela forma como foi criado.

    Entre aliados de Leite, há desconforto com a escolha de Paulo Pimenta para o cargo por ser um nome considerado político.

    O tensionamento com os tucanos foi atenuado quando o governo bateu o martelo sobre o nome da pasta e a inclusão da palavra “apoio”: Secretaria Extraordinária da Presidência da República para Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul.

    Procurado, o governador não se manifestou até o momento.