Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Pedro Venceslau
    Blog

    Pedro Venceslau

    Pós-graduado em política e relações internacionais, foi colunista de política do jornal Brasil Econômico, repórter de política do Estadão e comentarista da Rádio Eldorado

    Reunião de Haddad com líderes teve ausência do agro, elogios a Lira e carne no centro do debate

    Presidente da Câmara lembrou que é pecuarista, que tem ótima relação com a FPA e defendeu que as carnes fiquem sem isenção

    A reunião do colégio de líderes da Câmara com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, para discutir o texto final da reforma tributária, na terça-feira (9), foi marcada por elogios “rasgados” do ministro ao presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), e teve a carne no centro de debate, segundo relatos de presentes ouvidos pela CNN.

    A expectativa de Lira, segundo aliados, era de que o presidente da Frente Parlamentar do Agronegócio (FPA), Pedro Lupion (PP-PR), fosse ao encontro, mas ele não compareceu e não houve resistência à decisão de manter a carne fora da cesta básica restrita.

    Não haverá isenção de impostos para as carnes, mas elas continuam na cesta básica ampliada que paga um imposto reduzido.

    “A decisão de deixar a carne de fora foi da política, do colégio de líderes. Eu não posso pegar um produto que gera 0,57% de alíquota e tomar uma decisão sozinho”, disse à CNN o deputado Reginaldo Lopes (PT-MG), que foi escolhido relator da proposta.

    Na reunião, Lira disse aos presentes que é pecuarista e mantém uma ótima relação com a FPA, mas que se posicionou contra a isenção da carne “pelo bem do país”, porque a inclusão da proteína animal significaria um aumento na alíquota média de 0,57%.

    Em sua fala, segundo os relatos obtidos pela CNN, o ministro disse que a reforma só chegou nesse ponto para ser votada depois de 40 anos graças ao presidente da Câmara.