Caixa lança app do 'coronavoucher' e já tem 600 mil adesões


do CNN Brasil Business
07 de abril de 2020 às 08:35 | Atualizado 07 de abril de 2020 às 10:12
 

A Caixa Econômica Federal lançou, na manhã desta terça-feira (07), o site para o cadastro do recebimento do 'coronavoucher'. A divulgação foi feita antes da coletiva de imprensa do Ministério da Economia, marcada para às 09h de hoje. 

Para se inscrever no benefício, a inscrição deverá ser feita online, por meio do site auxilio.caixa.gov.br. Além disso, os solicitantes devem preencher todos os requisitos solicitados pelo governo federal. 

Depois de um processo de aprovação conturbado nas últimas semanas, governo e Congresso chegaram a um acordo e o valor do coronavoucher ficou estipulado em R$ 600,00 ou R$ 1.200, para as famílias em que a mulher seja a única responsável pelas despesas da casa. O auxílio é um socorro aos trabalhadores informais durante a crise, que por enquanto está garantido para os próximos três meses.

Para receber o benefício, é preciso cumprir alguns pré-requisitos, como ser maior de idade, não ter emprego formal, não receber seguro-desemprego ou pensão da Previdência, além de não ultrapassar uma renda familiar mensal de três salários mínimos. Pessoas que recebem o Bolsa Família também têm direito ao coronavoucher e, inclusive, podem utilizar o mesmo registro para receber os dois valores.

Uma das formas de acompanhar o recebimento e realizar os saques do auxílio é pelo aplicativo lançado nesta terça (7) pelo governo. O novo aplicativo irá identificar os trabalhadores que não estão em nenhuma outra base do governo, como o Cadastro Único (CadÚnico).

Entre as medidas tomadas em meio à crise, a Caixa também deve disponibilizar uma conta poupança digital. O benefício emergencial poderá ser creditado nessa conta e, em seguida, ser transferido para o banco de preferência.

Inscrições

Segundo o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, 600 mil brasileiros já se cadastraram no sistema nas primeiras horas de funcionamento do sistema. Há expectativa de que entre 15 milhões e 25 milhões de brasileiros usem a plataforma para se cadastrar e receber o dinheiro para combater os efeitos da pandemia.

"Estamos trabalhando para que dentro de quatro ou cinco dias úteis esses cadastrados já recebam o auxílio", afirmou em coletiva dada na manhã desta terça-feira.