Quarentena movimentada: apps como Tinder e Happn têm aumento de acessos

Apesar disso, ferramentas pagas estão sendo deixadas de lado; movimento pode interferir no balanço das companhias

Manuela Tecchio, do CNN Business, em São Paulo
13 de maio de 2020 às 17:08 | Atualizado 13 de maio de 2020 às 17:14

Conforme a pandemia de coronavírus avança no mundo, e alguns países ainda mantêm ou intensificam as medidas de isolamento social, as pessoas têm procurado novas formas de se conectar. Aplicativos de relacionamento, como Tinder, Happn e OkCupid, registraram um aumento nas interações entre seus usuários durante os meses de quarentena, tanto no Brasil quanto a nível global.

Um relatório divulgado pelo Match Group – proprietário de aplicativos de relacionamento como Tinder, OkCupid e Hinge – mostra que, depois de uma queda nas interações entre os usuários de seus apps em março, o número de novas inscrições e troca de mensagens voltou a crescer em abril.

Logo após os primeiros decretos de lockdown, que é a quarentena mais extrema, tanto o número de interações diárias entre os usuários quanto os novos cadastros havia caído no Tinder. O movimento também foi visto em todas as outras plataformas do grupo. Depois de algumas semanas de quarentena e de iniciativas tomadas pela empresa, no entanto, o cenário mudou.

Em abril, o Tinder atingiu o maior número de usuários que acessam diariamente a plataforma. Na média de todos os aplicativos do grupo, o número de mensagens diárias enviadas foi 27% superior em abril, na comparação com o última semana de fevereiro. Entre os principais responsáveis pelo crescimento, estão as mulheres jovens, abaixo dos 30 anos. Segundo o relatório, o número de usuárias assíduas nessa faixa etária que acessam o app todos os dias aumentou em 37% em abril. 

De acordo com levantamento do Happn, outro aplicativo que lidera o ranking de mais usados pelos brasileiros, a troca de mensagens em todo o mundo aumentou 20% desde o início das medidas de restrição. No Brasil, um levantamento divulgado no fim do mês de março apontou um crescimento de 18% nas interações pela plataforma após o início da quarentena nas principais capitais brasileiras. 

O isolamento tem, de fato, afetado o emocional das pessoas. Em outro estudo mais recente do Happn, realizado no início de maio, 62% dos brasileiros admitiram que o período de solidão os motivou a iniciarem uma busca por romance. Em um recorte com os usuários da plataforma, 56% disseram estar conversando por mais tempo e 63% acreditavam que a quarentena aumentaria o vínculo afetivo com as paqueras.

“Hoje, essas novas conexões virtuais também exercem um papel importante como um alívio ao isolamento, à solidão e ao distanciamento social. Os usuários estão passando mais tempo conectados e estão mais propensos a se conhecerem melhor. Isso pode significar o retorno de relacionamentos mais sensíveis e profundos”, disse o cofundador e CEO do Happn, Didier Rappaport.

Apesar de afastar fisicamente os amantes, o cenário de isolamento parece estar aumentando o vínculo afetivo entre eles, como afirmaram 68% dos brasileiros entrevistados pelo Happn. A razão disso, segundo 75% desse grupo, é a possibilidade de se aprofundar em certos assuntos e aproveitar o momento para se conhecer melhor, mesmo que virtualmente. Além disso, para 41% dos respondentes, o papo mais longo pela internet ajuda a criar maior curiosidade sobre o crush.

Amor não paga a conta

Os resultados, até aqui, têm impulsionado o balanço do Match Group, cuja receita total apresentou um crescimento de 17% no primeiro trimestre, em relação ao mesmo período do ano anterior – só o Tinder registrou um aumento de 31% no lucro. Mas algum impacto deve chegar nos próximos meses. 

Embora o desempenho de abril tenha se mantido positivo, o crescimento desacelerou para 9% em relação ao mesmo mês de 2019. Para efeitos de comparação, em fevereiro a receita chegou a crescer 21% e, em março, subiu 14%. O levantamento do Match Group mostra, por exemplo, que os usuários estão menos dispostos a pagar pelo uso de ferramentas “premium”.

Esse movimento foi observado justamente nos países mais afetados pela pandemia de coronavírus e, principalmente entre o público masculino mais jovem. A atitude de investir menos na plataforma se manteve mesmo semanas adentro da quarentena. O gasto médio por usuário caiu no quadro geral, tanto nas compras “à la carte”, que liberam o uso de uma ferramenta apenas uma única vez, quanto na contratação de assinaturas mais caras. Além disso, houve um impacto nas inscrições.

No Tinder, os novos cadastros caíram cerca de 6% de fevereiro para março. E, embora já tenham voltado a crescer, aumentaram em ritmo desacelerado, ganhando apenas 1% de março para abril, o que não recupera a perda anterior. Apesar disso, na comparação anual, todos os meses ainda apresentam altas nos novos usuários.

Poder de atração

Entre as principais medidas adotadas pelo Match Group para reverter as primeiras perdas, estão o desenvolvimento de ferramentas de vídeo em seus aplicativos. O lançamento de uma opção de videochamada dentro do Tinder está previsto para acontecer ainda no segundo trimestre, antes do fim de junho. Em outro app do grupo, o Plenty of Fish (POF), o uso de uma nova ferramenta de vídeo “superou as expectativas” da empresa, de acordo com o relatório.

Outra iniciativa tomada pelo Tinder, depois que as principais capitais incentivaram medidas de isolamento, foi a permissão do uso gratuito da “função passaporte”, que permite a conexão entre usuários de outras regiões ou até mesmo de diferentes continentes. Geralmente, a ferramenta só está disponível para assinantes de pacotes pagos, como o Tinder Plus ou Gold.

Uma ação semelhante foi tomada pelo concorrente Happn, que estendeu o raio máximo de alcance aos perfis de 250 metros para 90 quilômetros. A ampliação da cobertura é ativada quando o fluxo de encontros estiver abaixo do normal. Inicialmente, os usuários localizam as pessoas mais próximas e, caso haja poucas conexões disponíveis, o raio se estende automaticamente. A novidade será mantida por período indeterminado.

Mas a ideia é manter o romance platônico até o fim da quarentena. Uma campanha do Happn tem estimulado usuários a realizar atividades comuns nos encontros, mas à distância. Na ação “Date com Responsabilidade”, o aplicativo incentiva os usuários a cozinharem juntos ou ouvir uma música ao mesmo tempo.