Ações da Locaweb dobram de valor em meio à pandemia: qual o segredo da empresa?


Matheus Prado, do CNN Brasil Business, em São Paulo
30 de julho de 2020 às 07:00

A empresa de tecnologia Locaweb foi uma das primeiras empresas a realizar um IPO na bolsa de valores de São Paulo, a B3, neste ano. E fez em um momento que muitos acreditaram que era certeiro: os investidores apostavam que 2020 seria o ano das aberturas de capital. Porém, poucos entenderam a Covid-19 como um grande risco para o mercado e até para a economia brasileira. Deu no que deu – diversos circuit breakers, ações derretendo e investidores em pânico.

Foi neste contexto que a Locaweb viveu seus primeiros momentos como empresa de capital aberto. Suas ações chegaram a cair 58% em março, que foi o epicentro da bagunça nos mercados. Mas o momento ruim durou apenas 20 dias: a companhia já dobrou de valor em comparação ao preço da abertura. Em relação ao preço mínimo do ano, registrado no dia 23 de março, a alta já ultrapassa os 325%. 

Leia também:
IPO da Pague Menos pode movimentar mais de R$ 1 bilhão
Via Varejo reinventa Casas Bahia e mira Apple Store para atingir alta renda
Varejo não vai aceitar aumento de impostos, diz Luiza Trajano, do Magazine Luiza
Carrefour muda planos por pandemia e está no caminho para lucrar no e-commerce

Mas qual o segredo da companhia? Fundada no final dos anos 90, a Locaweb é especializada no desenvolvimento de soluções digitais para pequenas e médias empresas. O portfólio da empresa vai desde a hospedagem de sites até a criação de apps de delivery, passando por platarforma de e-commerce e meio de pagamento próprios.

Ou seja, enquanto muitos setores sofreram e ainda sofrem para dar rentabilidade aos seus negócios durante a pandemia, a empresa comandada por Fernando Cirne oferece boa parte das soluções necessárias para que um negócio de pequeno porte comece a funcionar no mundo digital. E é exatamente este o plano para o presente e para o futuro, cercar os clientes com ferramentas e integrações para que ele resolva tudo com produtos da marca. 

Em entrevista ao CNN Brasil Business, Cirne afirma que “os números da empresa têm sido bons em todas as linhas de negócio, porque estava preparada para crescer mesmo antes da crise”. Para começar, a Locaweb diz possuir 97% de recorrência com renovação automática, ou seja, grande parte da sua receita é paga através de mensalidades que não sofrem variação.

Também conta a favor, segundo o gestor, o fato de que a companhia é voltada para pequenas e médias empresas e, por isso, tem baixa concentração de receita. “Nosso maior cliente gera menos de 1% da nossa receita”, conta. Existe ainda, claro, o fator inadimplência, que Cirne afirma estar dentro dos níveis observados em circunstâncias normais. A divulgação dos resultados do segundo trimestre de 2020 ocorre no dia 12 de agosto.

Além disso, a aceleração digital promovida pelo isolamento social afetou positivamente o core business da empresa. Ele cita, por exemplo, a hospedagem de sites, que cresce mais de 20% em relação ao ano passado; e o serviço de e-commerce, em que a entrada de novos clientes aumentou em 250% no mês de abril.

Cirne considera que o “varejista brasileiro ainda tem receio do digital”, mas a crise está ajudando a acelerar este processo de digitalização. “O e-commerce representava 6% das vendas no Brasil antes da Covid-19. Nos EUA este número era 12% e na China 22%”, diz. “Há estimativas que este número tenha passado para 10%, 12% por conta da pandemia, mas ainda é muito pouco. Podemos crescer duas, três, quatro vezes mais.” 

O executivo explica que, dos novos clientes, boa parte já tinha experiência com negócios offline, o que a empresa considera positivo. “Quem já tem loja num shopping, por exemplo, com estoque, marca própria, tem taxa de sucesso maior do que aqueles que começam do zero”, aponta. Para remediar isso, a Locaweb tem investido em produção de conteúdo e oferece mais de 1,2 mil artigos para engajar os clientes no tema.

Outro setor que demonstrou forte procura durante a pandemia foi o de delivery direto, com crescimento de 300%. A empresa desenvolve aplicativos para restaurantes e comerciantes que querem ter um aplicativo próprio de entregas. “Por vezes o empreendedor não quer pagar a taxa cobradas por apps como o iFood e decidem fazer um aplicativo próprio”, diz. “Nessa área, inclusive, a gente está disposto a digitalizar outros setores e business.”

Aquisições

Seguindo esta linha, a Locaweb deve continuar incorporando novas integrações (hoje são 120), como a sua solução para receber pagamentos, a Yapay. O objetivo é que os clientes consigam resolver todas as instâncias dos seus negócios no mesmo lugar.

Questionado sobre possíveis novas aquisições, Cirne apontou que, entre outras coisas, podem “comprar empresas que agreguem novas integrações para o mercado de e-commerce”.

Ele explica ainda que, quando realizam aquisições, olham para a maturidade dos negócios, buscando empresas estabelecidas e num estágio avançado de desenvolvimento. Além disso, afirma que não querem somente comprar o produto, mas também que as equipes sejam incorporadas e trabalhem diretamente juntas. Entre os setores que pretende melhorar, Fernando cita logística, serviços financeiros e serviços de marketing.

Com este planejamento, a companhia tem animado o mercado financeiro. A XP elevou o preço-alvo dos papéis da empresa para R$ 55 (de R$ 26) no final de 2020 e passou a recomendar a compra do ativo. O analista de varejo da corretora, Pedro Fagundes, o crescimento do e-commerce e a possibilidade de novas aquisições devem puxar o papel para cima.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook