CVM abre duas investigações envolvendo Linx após anúncio de fusão com StoneCo

Um dos processos diz respeito a "notícias, fatos relevantes e comunicados". O outro é sobre a incorporação

Da Reuters
14 de agosto de 2020 às 07:56

Foto: Wolfgang Rattay/Reuters

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu nesta quinta-feira (13) processos administrativos envolvendo a provedora de software para varejo Linx (LINX3), dois dias após o anúncio de fusão da companhia com a empresa de pagamentos StoneCo.

Um dos processos diz respeito a "notícias, fatos relevantes e comunicados". O outro é sobre o assunto incorporação.

Leia também:
Stone anuncia acordo com Linx: R$ 6 bilhões em dinheiro e em ações
Após fusão com Stone, Linx anuncia lucro líquido de R$2,8 mi no 2º tri

As medidas acontecem após reclamações de agentes do mercado de que a informação do negócio pode ter vazado, com investidores possivelmente tendo se aproveitado disso para lucrar antes que o anúncio fosse oficializado.

A StoneCo anunciou na terça-feira (11) acordo vinculante para unir sua área de software com a Linx, numa transação em dinheiro e ações avaliada em R$ 6,4 bilhões.

Antes disso, a ação da Linx fechou em alta de 31,5% no pregão, maior ganho percentual diário da história do papel. No meio do dia, a Linx chegou a publicar fato relevante, contando que estava em tratativas finais para possível combinação de negócios com a StoneCo, mas as ações já tinham forte alta.

O outro processo da CVM diz respeito à própria operação e vem após reclamações de investidores de que acionistas minoritários da Linx podem ser prejudicados considerados os termos propostos da transação.

Consultada, a autarquia afirmou que não comenta casos específicos e que analisa "a regularidade das operações divulgadas".

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook