Vice-líder do governo no Senado votou por reajuste

Contrariando a orientação do Planalto, Izalci Lucas (PSDB-DF) votou pela liberação de reajustes para o funcionalismo

Da CNN, em São Paulo
20 de agosto de 2020 às 17:42

Um dos senadores que contrariou a orientação do Planalto e votou pela liberação de reajustes para o funcionalismo, Izalci Lucas (PSDB-DF), vice-líder do governo no Senado, explicou à CNN nesta quinta-feira (20) sobre o seu voto, afirmando que “não dá para congelar de forma geral, sendo que cada estado e município tem uma realidade”. 

Segundo o parlamentar, o que movimenta a economia do Distrito Federal, por exemplo, é o servidor público. “Nós não votamos pelo aumento. Na prática, o projeto não obriga o aumento, ele apenas permite os aumentos. Agora, fica sob responsabilidade de cada estado”, afirmou, justificando que a realidade do país em cada região é muito diferente.

“Há estados que, durante esse período recente, deram reajuste para várias categorias. Tem outros que há 10 anos não dão reajuste. Mas não quer dizer que tem que dar. Então, não existe impacto se não houver aumento”.

Assista e leia também:

Câmara discute veto de Bolsonaro a reajuste de servidores

“Rombo de R$ 120 bi é mentira do Paulo Guedes”, diz Major Olímpio sobre reajuste

Veja como votaram senadores no veto ao congelamento de salário de servidores

Vice-líder do Governo Federal no Senado, Izalci Lucas (PSDB-DF) (20.ago.2020)
Foto: CNN Brasil

O senador destaca que o que está em discussão são pessoas que estão à frente no combate à pandemia. Pessoa que, afirma, "estão dando a vida por nós". “Não podemos penalizar e congelar uma carreira”, justificou.

O parlamentar disse ainda que, antes da votação, conversou com o presidente Bolsonaro e informou que votaria pela derrubada do veto.

Sobre se continuará na vice-liderança do governo, Lucas disse que é um cargo “estritamente” de Bolsonaro. “Não ia votar escondido. Eu quero ajudar o Brasil”.

(Edição: Sinara Peixoto)