Reis, da Suno: Há muita fake news nas redes sociais do mercado; analisam sem ler


Fernando Nakagawa
Por Fernando Nakagawa, CNN  
08 de setembro de 2020 às 07:36

Há muita “fake news” nas redes sociais do mundo financeiro e muitos estão dando orientação de investimentos sem nem ler balanços e notas explicativas das empresas. O alerta é do fundador e analista-chefe da casa de análise Suno Research, Tiago Reis. “Algumas pessoas que fazem análise não leem nem as notas explicativas. Tenho visto isso de forma recorrente”. 

Em entrevista ao Carteira Inteligente, o programa semanal da CNN Brasil sobre investimentos e finanças pessoais, Reis diz que a internet é ótima por permitir o acesso facilitado às informações, inclusive do mercado financeiro, mas também há muitas situações que podem prejudicar o investidor, principalmente o principiante. 

Leia também: 
Apple perdeu quase US$ 180 bilhões em valor de mercado, e ações continuam caindo
Betina Roxo, da Rico: Incertezas vão continuar, então é necessário diversificar
Quem busca atalho na bolsa vai perder tudo, diz Henrique Bredda, do Alaska Asset

“Às vezes, essa informação não é provida por especialistas ou por quem tem vivência. É sempre difícil para quem está começando discernir quem é competente ou quem não é”, disse, ao comentar especialmente a situação das centenas de milhares de investidores que chegaram recentemente à bolsa. “É como julgar um professor de russo se você não fala russo. Com as ações, é a mesma coisa. As pessoas não têm capacidade (de julgar)”.

Reis comentou sobre o Ibovespa que tem girado em torno de 100 mil pontos ao longo das últimas semanas. Para o analista, a bolsa brasileira sofre por dois motivos: 1) não ter setores “da moda” – como o tecnológico, que subiu expressivamente no ano e caiu nos últimos dias – e 2) pela preocupação com a situação política e das contas públicas no Brasil.  

Tiago Reis diz que atualmente gosta de setores “mais antigos que não correm risco de disrupção”. Ele cita como exemplo as ações da mineradora Vale e empresas do setor elétrico, de companhias de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook