Netflix quer produzir cada vez mais, mas vai passar longe do pornô


Fernando Nakagawa e Paula Bezerra, do CNN Brasil Business, em São Paulo
11 de setembro de 2020 às 08:15 | Atualizado 11 de setembro de 2020 às 14:36

Bastam poucos minutos na Netflix para encontrar filmes e séries que vão desde novelões até títulos de ficção científica que dão nó na cabeça de muita gente. E você ainda passa por comédia, desenho animado e documentários. Mas a temática não deve ir muito além disso. Pelo menos esse é o plano do fundador e CEO da maior empresa de streaming do mundo, Reed Hastings.

Em entrevista ao CNN Brasil Business, ele negou a hipótese de a Netflix partir para outros temas explorados pela televisão tradicional. “Estamos focados em produzir os melhores filmes e as melhores séries em todo o mundo”, disse, ao ser questionado se a plataforma poderia avançar para áreas como jornalismo, esportes ou, até mesmo, o pornô.

Leia também:
Netflix testa modo aleatório para quem não consegue decidir o que assistir
Disney+ chega ao país em 17 de novembro; entenda o impacto para a Netflix

“Se você observar nossa série japonesa ‘The Naked Director’, a série alemã ‘Dark’, a norte-americana ‘Hollywood’, e muitas séries brasileiras, verá que estamos investindo muito nelas e com uma satisfação cada vez maior”, desconversou. Hastings bate na tecla de que, com o aumento da concorrência, o diferencial da Netflix será oferecer mais e melhores produções, inclusive localmente.

O fundador da plataforma aposta todas as fichas no streaming, mas diz que sempre haverá espaço para as salas de cinema. “Depois da vacina, vamos todos voltar aos bares, restaurantes, estádios e salas de cinema. As pessoas gostam de sair, de celebrar, e gostam de assistir ao conteúdo tanto em casa como no cinema”.

Os cinemas terão espaço mesmo com o streaming porque, para Hastings, são experiências diferentes. “Pense na música. Você pode ouvir o que quiser em casa, mas as pessoas ainda vão a shows e gostam muito. Ou a comida. Você pode fazer um frango do jeito que quiser em casa, mas ainda assim você vai ao restaurante ou pede algo especial em casa. O fato de as pessoas poderem fazer algo em casa não significa que elas não podem também fazer fora de casa em ocasiões especiais”.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook