Estamos convictos, diz diretora da Magalu sobre programa só com trainees negros

"Estamos convictos da decisão, tanto no aspecto da legalidade quanto da necessidade da ação," disse a diretora executiva do Magazine Luiza, Patricia Pugas

Da CNN, em São Paulo
22 de setembro de 2020 às 17:09 | Atualizado 22 de setembro de 2020 às 17:42

A decisão da Magazine Luiza em colocar apenas negros, no próximo programa de trainees da empresa, ganhou os noticiários e inundou as redes sociais de opinões sobre o assunto nos últimos dias.

Segundo a diretora executiva de Gestão de Pessoas da empresa, Patricia Pugas, o grupo já esperava uma reação, mas não com tamanha dimensão.

Em entrevista para a CNN nesta terça-feira (22), Pugas disse também que a companhia se amparou em amplo material legal para lançar o projeto, que não sofre risco de ser cancelado.

“Nós imaginávamos que o programa teria repercussão por ser uma iniciativa inédita, mas o tamanho que isso tomou nos surpreendeu. Não imaginávamos essa reação,” disse Patricia.

“Estamos convictos da decisão, tanto no aspecto da legalidade quanto da necessidade disso como empresa. Nos aprofundamos com o jurídico, entidades representativas, Ministério Público do Trabalho e nos cercamos de jurisprudências e notas técnicas sobre o assunto. Do mesmo jeito que nos estruturamos para lançar o programa, estamos prontos para mantê-lo.”

Leia também:
Presidente do Magazine Luiza: 'diversidade vai gerar resultados maiores'
Magalu não é o único: Bayer abre trainee para profissionais negros
Magazine Luiza reafirma trainee para negros após acusação de 'racismo reverso'

Patrícia Pugas
Patrícia Pugas, diretora-executiva de gestão de pessoas do Magazina Luiza
Foto: CNN (22.set.2020)

A diretora executiva explicou que a necessidade de colocar pessoas negras em cargos de liderança da companhia nasceu de pesquisa interna que mostrou que apesar de 53% do público do Magazine Luiza ser preto ou pardo, apenas 16% deste grupo ocupa cargos de liderança na empresa.

“A diversidade é importante para falar melhor com nossos clientes. Entendemos que a representatividade racial nos cargos de liderança se faz necessária. Escolhemos por um programa de trainee por ser o caminho mais rápido que temos dentro da empresa para corrigir uma distorção.”

(Edição: Sinara Peixoto)