Localiza e Unidas disparam na bolsa após anúncio de fusão; analistas comentam

Ações das empresas avançavam mais de 10% no pregão de quarta-feira (23) após o anúncio

Matheus Prado, do CNN Brasil Business, em São Paulo
23 de setembro de 2020 às 10:56 | Atualizado 23 de setembro de 2020 às 17:14

Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3), duas das maiores locadoras de veículos do país, anunciaram nesta quarta-feira (23) que pretendem assinar um acordo de incorporação de ações. Em fato relevante, as empresas explicam que, após celebração do acordo, a Localiza passará a deter a totalidade dos papéis da Unidas.

O mercado ficou em polvorosa com a informação e as ações das duas companhias subiam muito nos primeiros negócios de quarta. A Unidas avançava 17% enquanto a Localiza subia outros 12%.

Segundo analistas, a movimentação é extremamente positiva para a companhia que vai se formar. “Com a atual crise e a expectativa de recuperação da economia nos próximos meses, principalmente em 2021, será uma empresa maior, para fazer frente ao mercado”, afirma Pedro Galdi, analista da Mirae Asset.

Leia também:
Localiza e Unidas anunciam fusão; acordo depende de aprovação do Cade
Tesla corta custos de baterias para carros elétricos e promete revolução
Localiza prepara serviço de assinatura de carros para escapar da crise

Já Henrique Esteter, analista da Guide, não vê tanto impacto da crise na decisão, mas corrobora o sentimento de que a transação traz boas possibilidades para as empresas. “Em termos financeiros, as empresas estão bem, então creio que o cenário adverso não pesou tanto assim”, diz.

“O que eu vejo é uma complementação das atividades das duas empresas. A Localiza é muito sólida no segmento de Rent a Car, enquanto a Unidas tem presença forte na gestão de frotas. Juntas, vão criar superpotência do setor.”

Este talvez seja o grande problema em questão, o tamanho que a operação vai tomar caso o acordo seja aprovado. “Juntas, as duas serão responsáveis por 15% do mercado de veículos vendidos no país. É possível que tenham que enfrentar o lobby das montadoras”, diz Galdi. 

Isso sem falar na aprovação Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). “A Unidas já vem de fusão recente (com a Locamerica), o que deixou o mercado com apenas três empresas do setor listadas em bolsa. Agora ficariam duas. Me parece estranho que o Cade aprove isso sem ressalvas”, acrescenta Esteter.

Até o pregão de 23 de setembro, os papéis da Localiza na B3 haviam avançado 9,81% em 2020, com a empresa valendo pouco menos de R$ 40 bilhões. A Unidas, por outro lado, acumula queda de 4,54% no ano e tem valor de mercado superior a R$ 10 bilhões. A Movida (MOVI3), terceira colocada do setor, vale R$ 5,01 bilhões.

“O setor é gigante e tem muito potencial de crescimento, então considero que ainda existe bastante espaço para a Movida crescer”, diz Esteter. “Mas é claro que fica mais complicado, cria barreira adicional. A outra empresa vai ter muito mais escala, o que traz redução de custos para a operação.” 

Termos do acordo

O número de ações ordinárias a serem emitidas pela Localiza e atribuídas aos acionistas da Unidas (incluindo fundadores) compreenderá uma relação de troca de 0,44682380 nova ação da Localiza para cada ação atual da Unidas.

Com isso, os acionistas da Localiza passariam a deter, conjuntamente, 76,85% do capital social total e votante da companhia; e os acionistas da Unidas passariam a controlar 23,14% do capital social total e votante da empresa.

A Unidas poderá ainda distribuir até R$ 425 milhões em dividendos aos seus acionistas. Os valores deverão ser pagos em até 90 dias após a aprovação do acordo.

O Bank of America atuou como assessor financeiro exclusivo da Localiza e o Banco Itaú BBA atuou como assessor financeiro exclusivo da Unidas. Pinheiro Neto e Machado Meyer atuaram como assessores legais da Localiza e Unidas, respectivamente.

Impactos do novo coronavírus 

A maior empresa de aluguel de carros do país, Localiza, viu seu lucro no segundo trimestre de 2020 cair mais que a metade, impactada pelas medidas de isolamento social que fecharam lojas e pontos de venda de seminovos e restringiram a circulação nas cidades. Teve lucro líquido de R$ 89,9 milhões de abril a junho, queda anual de 52,7%, com a receita líquida recuando cerca de 32%, a R$ 1,57 bilhão.

Com o setor amplamente impactado pela pandemia do novo coronavírus, a Unidas sofreu ainda mais e registrou prejuízo de R$ 14,5 milhões, revertendo o lucro de R$ 81,8 milhões coletado no mesmo período do ano anterior. Além disso, com a população impedida de viajar, as receitas da companhia recuaram 22%, a R$ 920,8 mi.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook