Alcolumbre adia votação da autonomia do BC para o dia 3 de novembro

Alcolumbre argumentou que só pautaria a medida se houvesse acordo para um pacote de três projetos discutidos no Senado

Daniel Weterman, do Estadão Conteúdo
22 de outubro de 2020 às 08:17

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre

Foto: Adriano Machado/Reuters

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), adiou a votação do projeto de autonomia do Banco Central para o dia 3 de novembro. A proposta estava prevista para quarta-feira (21) mas não houve acordo entre os líderes da Casa. Alcolumbre argumentou que só pautaria a medida se houvesse acordo para um pacote de três projetos discutidos no Senado.

Leia também:
Entrada do Brasil na OCDE não está tão próxima, avaliam especialistas
Autonomia do BC: banco pode ter que controlar inflação e fomentar emprego

Além da autonomia do BC, há proposta para autorizar o acolhimento de depósitos voluntários de instituições financeiras pela autoridade monetária. Os senadores chegaram a colocar no radar também o novo marco das ferrovias, mas esse item deve ser substituído pelo projeto que muda as regras do transporte terrestre de passageiros e inibe a competição no setor.

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), chegou a anunciar um acordo para votar a autonomia do BC nesta quarta-feira. Senadores da oposição, porém, reagiram à estratégia e começaram a levantar questões de ordem no plenário do Senado. Na tentativa de reeleição para o cargo, Alcolumbre não quis se indispor com as bancadas e adiou a votação.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook