Ex-presidente do Fed, Alan Greenspan sobre pandemia: “Nunca vi nada assim”


Anneken Tappe , do CNN Business, em Nova York
21 de novembro de 2020 às 05:30
Alan Greenspan
Foto: CNN

O governo do presidente eleito Joe Biden tem muito trabalho à frente, e controlar a pandemia deveria ser a prioridade número um, de acordo com o ex-presidente do Federal Reserve, Alan Greenspan. Segundo ele, essa tarefa ajudará a salvar a economia.

“Nunca vi uma situação como essa durante minha experiência profissional”, disse Greenspan, 94 anos, à Julia Chatterley, da CNN, em seu programa “First Move” na quinta-feira (19).

Leia também:
Os planos da Arezzo no pós-pandemia: Reserva, marketplace e brechó de luxo
Economia reduz estimativa para déficit das contas públicas em quase R$ 40 bi

Embora não tenha trabalhado com finanças à época, já que era uma criança, Greenspan viveu durante a Grande Depressão dos anos 1930.

Mais tarde, Greenspan liderou o Fed de 1987 a 2006, o segundo mandato mais longo nessa função. 

Embora várias empresas farmacêuticas tenham anunciado resultados encorajadores a partir de seus testes de vacinas, as taxas de infecção ainda estão aumentando em todo o mundo, inclusive nos Estados Unidos.

Para Greenspan, tentar prever para onde o vírus está indo neste estágio é pouco mais do que um palpite. Pode ser possível voltar ao normal no primeiro semestre de 2021, acrescentou, mas apenas se a propagação do vírus for controlada e continuar assim.

O atual presidente do Fed, Jerome Powell, disse várias vezes que a economia irá se recuperar totalmente apenas quando a pandemia Covid-19 estiver sob controle. Mesmo assim, provavelmente não vai voltar para a economia que conhecíamos antes de a pandemia chegar.

Milhões de norte-americanos ainda precisam de benefícios para pagar as contas, porque perderam seus empregos devido à crise e não conseguem encontrar novos.

O governo gastou trilhões por meio da Lei CARES na primavera, mas o governo federal não conseguiu concordar com nenhum estímulo adicional desde então. Greenspan e muitos economistas concordam que isso deve mudar.

“Acho que Pelosi [Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Deputados] tem um conjunto particular de ideias para enfrentar os problemas que parecem bastante credíveis para mim”, afirmou o ex-banqueiro. “Tudo o que se precisa fazer é implementá-los”.

Contanto que haja um acordo geral de que algo precisa ser feito, a aprovação de um novo pacote de estímulo deve ser fácil, disse Greenspan. Mas em uma situação tão precária, deve-se sempre perguntar o que pode dar errado.

“Não estou nada convencido de que temos informações suficientes para saber como lidar com este tipo de problema”, afirmou Greenspan, acrescentando que pode haver consequências indesejadas para a sociedade.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês)