Trump assina pacote de socorro em meio à pandemia e evita paralisação do governo

Trump sancionou um enorme pacote de US$ 2,3 trilhões - incluindo US$ 900 bi para combater a crise da Covid-19 e US$ 1,4 tri em financiamento de recursos

Da CNN, em São Paulo*
27 de dezembro de 2020 às 23:44 | Atualizado 28 de dezembro de 2020 às 14:28


Após dias de expectativa, o presidente Donald Trump assinou, neste domingo (27), um enorme pacote de US$ 2,3 trilhões, que inclui estímulos à economia americana em meio à pandemia e a sanção ao projeto de lei de financiamento do governo. Assim, Trump evita uma paralisação governamental ("shutdown") que poderia começar na próxima terça-feira.

Com a assinatura de Trump, um valor de aproximadamente US$ 900 bilhões visa combater impactos da pandemia do Covid-19 à saúde pública e à economia do país. A medida possibilitará estender os benefícios de seguro-desemprego para milhões de pessoas que haviam perdido o direito ao auxílio no sábado. 

O pacote inclui também US$ 1,4 trilhão em gastos para financiar agências governamentais até o fim do próximo ano fiscal (em setembro de 2021). Se Trump não tivesse assinado a legislação, uma paralisação parcial do governo começaria na terça-feira e colocaria em risco a renda de milhões de funcionários.

Leia também:
Mega da Virada: apostas vão até dia 31; saiba como jogar pelo site ou aplicativo
Veja quem fez fortuna e entrou para o ranking de bilionários em 2020
Boeing 737: Como o avião de maior sucesso do mundo se tornou o mais problemático

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos
Donald Trump, presidente dos Estados Unidos
Foto: Reprodução/CNN (13.nov.2020) 

Ameaça de bloquear o projeto

Trump, que deixa o cargo em 20 de janeiro depois de perder a eleição de novembro para o presidente eleito Joe Biden, recuou de sua ameaça de bloquear o projeto, aprovado pelo Congresso na semana passada. Nos últimos dias, Trump sofreu intensa pressão de congressistas tanto democratas quanto republicanos.

O presidente republicano se recusava a assinar o projeto e argumentava que o Congresso deveria alterar o texto original para aumentar o valor do auxílio a americanos em dificuldades por conta da pandemia, de US$ 600 para US$ 2.000.

Com a sanção do projeto neste domingo, não ficou imediatamente claro por que Trump mudou de ideia, já que sua resistência ao enorme pacote legislativo prometia uma reta final caótica de sua presidência.

Os democratas concordavam com os pagamentos de US $ 2.000, mas muitos republicanos se opuseram a isso no passado. Diversos economistas também concordavam que a ajuda financeira no projeto de lei deveria ser maior para fazer a economia andar novamente, mas diziam que o apoio imediato aos americanos atingidos pela crise econômica é necessário com urgência.

O seguro-desemprego pago a cerca de 14 milhões de pessoas por meio de programas emergenciais da pandemia expirou no sábado, mas será reiniciado agora que Trump assinou o projeto de lei.

Os preços globais das ações subiram em resposta à notícia de que Trump havia aprovado o plano de estímulo e evitado uma possível paralisação do governo.

Logo no fim da noite de domingo, os futuros da S&P nos EUA e o índice Nikkei do Japão ganharam cerca de 0,4%. Os preços do ouro à vista subiram quase 1%.

"É positivo para os mercados que não tenhamos mais um caos, considerando que havia uma chance de uma paralisação parcial do governo", disse Masahiro Ichikawa, estrategista-chefe da Sumimoto Mitsui DS Asset Management.

* Com informações de Steve Holland e Susan Cornwell, da Reuters; e Kevin Liptak, Kate Bennett, Tami Luhby, Kaitlan Collins, Jason Hoffman, Phil Mattingly e Jeremy Diamond, da CNN