Volkswagen e Audi estão começando a desafiar a Tesla

O veículo elétrico a bateria mais popular da Volkswagen foi o novo ID.3, que vendeu 56.500 unidades

Charles Riley, CNN Business, em Londres
16 de janeiro de 2021 às 05:00
e-tron, carro elétrico da Audi

Audi e-tron é equipado com dois motores elétricos

Foto: Divulgação / Audi

As maiores montadoras do mundo estão começando a ganhar terreno para alcançar a Tesla.

A Volkswagen (VLKAF) vendeu 231.600 veículos elétricos a bateria em 2020, segundo dados publicados pela empresa na quarta-feira (13). Embora ainda seja menos da metade do número de vendas da Tesla (TSLA) , o dado representa um aumento de 214% em relação ao ano anterior e mostra que a enorme indústria automotiva da Alemanha está começando a se posicionar frente à líder em carros elétricos.

“Estamos no bom caminho para atingir nosso objetivo de nos tornarmos líderes de mercado em veículos elétricos a bateria”, disse Ralf Brandstätter, CEO da Volkswagen Passenger Cars, em um comunicado na terça-feira (12).

 

O veículo elétrico a bateria mais popular da Volkswagen foi o novo ID.3, que vendeu 56.500 unidades. As vendas do compacto e-Golf e do modelo ainda menor e-up! foram de 41.300 e 22.200 unidades, respectivamente. A Audi, marca de luxo do grupo, vendeu 47.300 SUVs e modelos esportivos e-tron.

Foram comercializados também 20 mil Porsche Taycans elétricos. As vendas de veículos híbridos (movidos a eletricidade e combustíveis convencionais) também aumentaram. A Volkswagen vendeu 190.500 híbridos plug-in no ano passado, um salto de 175% em relação a 2019. “2020 foi um ponto de virada para a Volkswagen e marcou um avanço na mobilidade elétrica”, afirmou Brandstätter.

No entanto, a Tesla ainda representa um enorme desafio para o setor. A empresa liderada por Elon Musk atingiu sua meta de construir 500 mil carros em 2020, segundo relatou no início de janeiro. A produção e as entregas aumentaram em mais de um terço em relação aos níveis de 2019, um ganho impressionante, especialmente quando se considera que a fábrica da empresa em Fremont, Califórnia, ficou fechada por quase dois meses  devido à pandemia. A montadora está construindo uma fábrica na Alemanha
e já tem uma na China desde 2019.

Os investidores recompensaram a Tesla tornando-a uma das empresas mais valiosas do mundo. Aos US$ 805 bilhões (cerca de R$ 4,2 trilhões), o valor de mercado da Tesla é mais de oito vezes o da Volkswagen, embora a empresa alemã fabrique cerca de 19 vezes mais veículos.

A Volkswagen disse que planeja investir € 35 bilhões (cerca de R$ 226 bilhões) em veículos elétricos até 2025, e os números de vendas para 2020 sugerem que os clientes estão começando a responder. A gigante automotiva pretende lançar cerca de 70 modelos elétricos puros até 2030, enquanto corre para alcançar a Tesla.

Outras montadoras alemãs estão entrando na corrida. A BMW (BMWYY) vendeu 44.530 veículos elétricos a bateria em 2020, um aumento de 13% em relação ao ano anterior, e mais de 148.000 híbridos plug-in. A Mercedes-Benz, da Daimler (DMLRY), vendeu mais de 160 mil híbridos plugin e veículos elétricos puros no ano passado.

O boom elétrico veio mesmo quando a pandemia empurrou as vendas gerais do setor para baixo. O Grupo Volkswagen vendeu 9,3 milhões de carros em 2020, uma queda de 15% em relação ao ano anterior, mas disse que as entregas caíram apenas 3,2% em dezembro, conforme a demanda se recuperou.

A Volkswagen está tentando provar que uma montadora que apenas alguns anos atrás estava enganando reguladores para vender diesel poluente pode produzir veículos elétricos que as pessoas queiram comprar e que os legisladores irão adotar ao enfrentar a crise climática.

Ela tem feito incursões significativas em alguns mercados. Na Noruega, onde os incentivos financeiros tornam a compra da maioria dos modelos de veículos elétricos mais baratos do que modelos similares a gasolina, o Audi e-tron foi o líder de vendas em 2020, superando o Model 3 da Tesla.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).