Site Parler está de volta online com uma mensagem para 'lovers' e 'haters'

"Olá, mundo, isso está ligado?", disse John Matze, CEO da rede social popular entre membros da extrema direita que foi expulsa da AWS após invasão ao Capitólio

Brian Fung, CNN Business
18 de janeiro de 2021 às 09:29 | Atualizado 18 de janeiro de 2021 às 09:39
O aplicativo Parler
Foto: CNN (11.jan.2021)


O polêmico site Parler reapareceu online no domingo à tarde com uma mensagem do CEO, John Matze: "Olá, mundo, isso está ligado?". A mensagem implica que a rede social, bastante popular entre os membros da extrema direita, encontrou uma nova plataforma de hospedagem online, depois que foi expulsa da Amazon Web Services (AWS) em 10 de janeiro, dias após o cerco ao Capitólio nos Estados Unidos.

O domínio de Parler agora está registrado no Epik, de acordo com uma pesquisa WHOIS. Epik é uma empresa que vende nomes de domínio. Ainda não está claro quem é o 'host' do Parler. Procurada, a empresa não respondeu imediatamente a um pedido de entrevista.

Robert Davis, porta-voz da Epik, disse que a empresa não fornece hospedagem na web para o Parler. Segundo o executivo, a Epik tem uma abordagem de tolerância zero com o racismo "e denuncia ativamente qualquer atividade utilizada para criar sofrimento aos outros com base na cor da pele, etnia, origem ou sistema de crenças".

 

Davis também mencionou à CNN que o Parler havia abordado a Epik para registrar seu domínio em 11 de janeiro. Mais cedo naquele mesmo dia, a Epik já havia emitido um extenso comunicado detonando o que dizia ser uma "reação automática" a "encerrar qualquer relacionamento que aparentemente pareça problemático ou controverso".

Parler: rede social está de volta com mensagem enigmática
Foto: Parler / Reprodução da internet


Uma atualização de status temporária em parler.com também apareceu abaixo da mensagem do CEO Matze.

"Agora parece ser o momento certo para lembrar a todos vocês — 'lovers' e 'haters' (algo como amantes e odiadores) — por que começamos esta plataforma", disse a mensagem. "Acreditamos que a privacidade é fundamental e a liberdade de expressão, essencial, especialmente nas redes sociais. Nosso objetivo sempre foi fornecer uma praça pública apartidária onde os indivíduos pudessem desfrutar e exercer seus direitos. Resolveremos qualquer desafio diante de nós e planejamos acolher todos vocês de volta em breve. Não vamos deixar o discurso civil perecer!"

Parler foi expulso da AWS na semana passada após o que a Amazon descreveu como dezenas de ameaças de violência que violavam os termos de serviço. Parler respondeu com um processo contra a Amazon, pedindo a um tribunal federal para revogar a decisão.