BC dos EUA vê leve pico inflação no curto prazo, mas 'não será persistente'

Segundo o presidente do Fed, a autoridade monetária americana está comprometida com máxima geração de empregos e "meta de inflação de 2% ao longo do tempo"

Ricardo Leopoldo, da Agência Estado
23 de março de 2021 às 14:44 | Atualizado 23 de março de 2021 às 15:47
Jerome Powell
Jerome Powell, chairman do Fed:
Foto: Yuri Gripas/Reuters

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, afirmou em audiência na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos que a autoridade monetária americana está fortemente comprometida com seu mandato - máxima geração de empregos e "meta de inflação de 2% ao longo do tempo".

Powell ressaltou que um processo inflacionário nos EUA pode ocorrer no curto prazo, sobretudo por fatores estatísticos, mas "não será grande nem persistente".

Ele apontou que o Fed "tem ferramentas" para lidar com aumentos excessivos de índices de preços e vai "utilizá-las de forma apropriada, se for necessário".

O presidente do banco central americano reforçou também que a política monetária dos Estados Unidos é altamente acomodatícia e garantiu que a autoridade está olhando "cuidadosamente" para a estabilidade financeira. 

Segundo o dirigente, "alguns preços de ativos estão altos, mas o sistema financeiro é bem capitalizado e está bem sua administração de riscos".

De acordo com Powell, antes de reduzir estímulos monetários, a instituição vai comunicar "com cuidado" e se "mover devagar".

Yellen descarta medidas que afetem empresas

Também em audiência na Câmara dos Representantes nesta terça-feira, a secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, evitou em vários momentos afirmar que o governo do presidente Joe Biden proporá a elevação de impostos cobrados de grandes empresas e pessoas que ganham mais de US$ 400 mil por ano, ou aplicará medidas que afetem pequenas empresas. Ainda assim, Yellen destacou a necessidade de se elevar as receitas.

Perguntada de forma constante pela deputada republicana Ann Wagner sobre como a administração democrata avalia que vai retomar a economia do país com alta de tributos, a secretária do Tesouro americano respondeu:

"Precisamos elevar receitas para continuar a recuperação da economia. A administração Biden não proporá medidas para afetar pequenas empresas. Precisamos realizar investimentos para tornar a economia produtiva e gerar mais empregos."